Eletrobras e Canal Futura lançam projeto educativo sobre uso eficiente de energia

Quando se trata de energia elétrica, o uso racional é o passo fundamental para se economizar seja na conta de luz ou no combate ao desperdício. Com tal concepção, a Fundação Roberto Marinho, através do Canal  Futura, e o Ministério de Minas e Energia, pela Eletrobras, lançaram na quinta-feira passada, dia 26 de abril, no Espaço Tom Jobim, Rio de Janeiro, o projeto educacional ‘Energia que Transforma’. O lançamento contou com as presenças dos presidentes da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, e da fundação ligada à Rede Globo, José Roberto Marinho, presidente da Fundação Roberto Marinho, além do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.
DSC02435Ministro de Minas e Energia, Édison Lobão, e presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, no lançamento do projeto ‘Energia que Transforma’
A iniciativa aposta na juventude de estudantes e na força de lideranças comunitárias para promover uma grande ‘revolução’ nas atitudes da população no combate ao desper-dício de energia no país. “Com esse programa esperamos mobilizar educadores, estudantes e suas famílias para que tenham uma atitude diferente com relação ao consumo de energia e ao desperdício”, disse José Roberto Marinho, presidente da Fundação Roberto Marinho. Sua aplicação prática consiste na elaboração de 5 cader-nos pedagógi-cos, cartazes, folhetos, um jogo educativo, e  na produção de duas séries especiais: uma para a televisão, intitulada ‘Vida de República’, e a outra para rádio, ‘Alô João!’.

Mas qual é a necessidade de criar um projeto de estímulo ao uso responsável dos recursos energéticos? É só pela economia financeira? Não. Mais do que poupar na conta de luz, a ideia do ‘Energia que Trans-forma’ aposta na mobilização das pessoas, através do diá-logo, para criar uma cultura permanente de consumidores responsáveis. Desde 1980, o Brasil tem sofrido um aumento incomum do seu consumo energético, devido ao seu alto nível de desenvolvimento  econômico. Portanto, é para frear este crescimento descontrolado no consumo que se destina o projeto, valorizando o melhor aproveitamento dos recursos naturais.

Nesse sentido, os materiais educativos do programa serão aplicados, nesta 1ª fase, nas comunidades e escolas públicas de Ensino Médio do Acre, Amazonas, Pernambuco e Rio de Janeiro. Vale destacar que tais escolas já trabalham com a metodologia do Novo Telecurso 2012. Todo conteúdo será lecionado de forma transversal às disciplinas curriculares.
DSC024352
A série televisiva, por sua vez, terá exibição nacional no Canal Futura (que atinge um público de cerca de 41 milhões de espectadores),sempre às quintas-feiras, às 20h. Em 10 episódios de 20 minutos cada, ela faz uma abordagem ampla, simples e criativa so-bre como o cidadão comum pode ter, com pequenos atos, um consumo racional da energia no seu cotidiano, sobre a atual conjuntura da energia no país. Para tanto, ela mostra a história de cinco diferentes jovens que convivem numa república estudantil. Ela conta com vários especialistas no assunto e ainda possui 1 programa direcionado ao professor/educador.

Já o programa de rádio, ‘Alô João!’, terá 30 spots de 30 segundos, que serão destinados às emissoras dos quatro estados-alvos do projeto. Em cada um deles, convidados fazem perguntas ao apresentador ‘João’ sobre diferentes situações do dia a dia relacionadas ao meio ambiente, à questão do uso sustentável da energia e dos recursos naturais. Os spots também estarão disponíveis pela internet, no site do Futuratec. 
Com todas estas linhas, o projeto está inserido no campo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), trabalhando as metodologias de uso consciente previstas pelos planos nacionais de Energia (PNE) e de Eficiência Energética (PNEf).

Para detalhar melhor esta metodologia, o ‘Energia que Transforma’ aborda 11 pontos básicos. Eles são: Definições e conceitos no campo da energia; Sociedade e meio ambiente; Fontes energéticas – recursos e tecnologias de oferta de energia primária; Energias renováveis – tecnologias perspectivas brasileiras; Tecnologias do setor elétrico e perdas energéticas; Eficiência energética nas residências eiluminação pública; Eficiência energética no transporte; Eficiência energética na indústria, comércio e agricultura; Planejamento energético; Instituições, programas e órgãos encarregados da gestão da energia no Brasil; Gestão doméstica do consumo de energia – eficiência energética e qualidade de vida.

Para otimizar a sua aplicação didática, em torno de 70 profissio-nais que atuam em projetos socioeducativos das concessionárias de energia elétrica receberam uma capacitação de 8 horas, já no dia do lançamento. Todos eles puderam conhecer melhor a metodologia aplicada e cada um ganhou um kit pedagógico do projeto para se familiarizarem com o seu conteúdo. A partir de agora, estes profissionais ficam responsáveis por repassarem as orientações da adaptação do projeto às salas de aula aos demais membros do público estudantil. Posteriormente, os kits deverão ser estendidos às comunidades localizadas no entorno das escolas atendidas, por meio de ONGs e lideranças comunitárias.
DSC02456-1Daniel Zen recebe do ministro Édison Lobão o kit do projeto

Acre é um dos estados contemplados
“Foi com muita alegria que recebemos a notícia que o Acre é um dos estados contemplados com o projeto ‘Energia que transforma’, declarou o secretário de Educação do Estado, Daniel Zen. Segundo ele, o Acre é o parceiro mais antigo da Fundação Roberto Marinho. “São doze anos de parceria nos programas educacionais de aceleração de aprendizagem”.

A importância do projeto para o estado é muito gran-de, afirma Daniel Zen, pois ele vivencia uma situação delicada com relação ao fornecimento de energia com interrupções e apagões. A construção do segundo Linhão, que está em execução, é para sanar isso.

“Esse projeto tem uma amplitude grande de educação, é uma proposta pedagógica que prioriza conscientizar as pes-soas sobre a necessidade de economizar energia, de poupar, de optar pelo eletrodoméstico mais eficiente e que tenha selo de qualidade e de compreender como está construída a matriz energética. Nossas crianças e jovens precisam estar cons-cientes e antenados”.

O Amazonas, Pernambuco e Rio de Janeiro são os outros três estados inseridos no projeto.  

Assuntos desta notícia

Join the Conversation