Qual é a cor do Brasil?

Li, reli, busquei novos argumentos e opiniões que me convencessem sobre a real necessidade das cotas raciais nas universidades públicas do país, aprovadas a unanimidade no último dia 26 de abril pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Não me convenci. Usa-se o discurso falho de reparação para esconder uma deficiência grave na Educação do país. Sem uma educação de qualidade criam-se cotas, bolsas…

Li ainda de um deputado federal acreano que quem era contra o sistema de cotas e usava a discurso da “competência” escondia na verdade “preconceito, nu e cru”. Daí pensei, putz, e agora?! Eu não concordo com as cotas raciais, acho um sistema desleal e segregador, será que por isso sou preconceituosa, racista?

Não, não sou. Definitivamente não sou, assim co-mo toda população brasileira sou uma mistura de raças. Qual a sua cor? Meio branca, meio parda? Negro, amarelo, mulato, índio? Eu já vi gente negra dizer que é parda, amarela dizer que é morena.  Não dá pra dividir o Brasil por raças.

Compartilho aqui a opinião da jornalista Rachel Sheherazade, que assim como eu acredita que as cotas agravam o racismo e a discriminação já existente. “O Brasil tem sim dívidas históricas com negros, índios, nordestinos e gays, mas se forem dividir o Brasil em cotas, em guetos, não seremos uma nação, mas um retalho de um país”.

É isso. Seremos um retalho de país. O sistema de cotas funciona da seguinte forma: os candidatos considerados negros concorrem entre si. Desse modo os aprovados passam por uma entrevista e o que a banca leva em conta são apenas as características físicas. As condições sociais e econômicas das famílias não têm influência. Ou seja, não importa se teve acesso a uma boa educação ou não.

Um concurso público no Paraná está oferecendo 47 vagas para juiz substituto, das quais 3 são para portadores de necessidade especiais e 5 (CINCO) para afrodescendentes. Não faz sentido pra mim. As cotas raciais ferem a Constituição e não melhoram o acesso à educação.

“Enquanto imperar a filosofia de que há uma raça inferior e outra superior o mundo estará permanentemente em guerra”. (Bob Marley)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation