Pular para o conteúdo

Em protestos de maus tratos, caminhoneiros brasileiros fecham ponte entre Epitaciolândia e Bolívia

 Cansados de esperar horas e em algumas situações até dias para a fiscalização da Receita Federal do Brasil liberar as fiscalizações das mercadorias que entram na Bolívia sem ter um local adequado para descansar os caminhoneiros brasileiros decidiram radicalizar depois que os bolivianos passaram a exigir que a carga e descarga sejam feitas em ruas isoladas e distantes do local de desembarque das mercadorias os deixando vulneráveis a roubos e furtos.

 Os caminhoneiros decidiram fechar a ponte entre as cidades de Epitaciolândia no Brasil e Cobija Bolívia exigindo o cumprimento de acordo feito com as autoridades. No acordo, os motoristas querem trafegar, carregar e descarregar no lado boliviano sem burocracia após os trâmites aduaneiros entre os dois países e setores de fiscalização estaria proibindo e exigindo estacionamento em locais isolados.

“Nossa intenção é tão somente chamar a atenção das autoridades do lado boliviano, pois eles é que dependem dos nossos serviços e se continuarem com esse tipo de tratamento. Não vamos mais atravessar a fronteira e quem vai perder é a população boliviana.”, afirmou um caminhoneiro.

motorascfecham1