Pular para o conteúdo

Jorge Viana sugere a criação de aeroporto no Segundo Distrito de Rio Branco e critica obras no atual aeroporto

 O vice-presidente do Senado Federal, Jorge Viana (PT/AC) criticou em seu pronunciamento durante sessão ordinária, na manhã desta sexta-feira, 09, mais uma obra de recuperação da pista do Aeroporto Internacional de Rio Branco José Plácido de Castro.  Ele disse não entender que o aeroporto passe por tantas reformas e não se tenha uma solução.

 O senador acreano leu uma carta enviada pela Companhia Aérea TAM em que menciona a reforma da pista de pouso e decolagem. Nesse sentido, a empresa avisa que reduzirá o tamanho das aeronaves que fazer o tráfego aéreo no Estado. Jorge teme um aumento no preço das tarifas cobradas aos acreanos.

“É um absurdo as obras não terem fim e um serviço que hoje é caro e precário ficar pior. A reforma da pista em agosto e setembro vai implicar em aviões menores e preço de passagem maior, ou seja, quem perde é o cidadão”, disse o senador petista.

 Ainda de acordo com Jorge Viana, o Aeroporto de Rio Branco foi mal planejado. Ele lembrou que a época em que foi construído, em 1999, foi necessário a intervenção do governo do Estado para permitir o acesso rodoviário. Viana sugeriu a construção de um novo aeroporto no Segundo Distrito de Rio Branco.

“Esse aeroporto foi feito no lugar errado, do jeito errado e a perspectiva dele dar certo é mais cara do que fazer um outro no lugar certo. O certo era termos um aeroporto bom e barato no Segundo Distrito, onde o solo é bom e poderíamos ter uma pista grande para aviões grandes e que não precisaria conviver com eternas reformas.

 Ele afirmou que seguirá cobrando da Infraero e das Companhias melhores serviços para o povo acreano. “O Acre merece aeroporto bom, voo seguro e barato”, ressalta Jorge Viana.

STF e Congresso Nacional

 Ainda em seu pronunciamento, o senador acreano lembrou que o Supremo Tribunal Federal em decisão resolveu devolver ao Congresso Nacional a prerrogativa de decidir sobre a cassação de parlamentares. O senador leu a matéria publicada no Jornal Folha de São Paulo desta sexta-feira, 09, em que traz o caso de um senador.

“Quem pode tudo é a Constituição. Ela está acima do STF, do Congresso e do Executivo. Havia ficado uma espécie de enfrentamento entre Congresso e STF, o que é péssimo para o país. Não podemos viver a insegurança jurídica, mas também não ficarmos entre os poderes. Mesmo condenado pelo Supremo, mas a decisão de perda do mandato tem que ser feita por esse plenário, no caso de senador e pelo plenário da Câmara em caso de deputado”, finalizou.

Encontro com Dilma Rousseff

 Jorge Viana ressaltou o encontro de senadores petistas com a presidenta Dilma Rousseff (PT) na tarde da última quinta-feira, 08, no Palácio do Planalto. Ele lembrou o controle da dívida externa e a redução nos índices de inflação.

“Quando assumimos o governo nós estávamos com uma dívida alta, o FMI visitando o país. Esse encontro com a presidenta Dilma foi para discutirmos o país, onde o governo precisa melhorar”.

 Jorge acrescentou também que a presidenta Dilma tem atendido o clamor das ruas, quando cria o Programa Mais Médicos, o plano para a melhoria na mobilidade urbana e a destinação dos recursos dos royalties do petróleo para a Educação.

“A presidenta Dilma não abre mão de manter o controle da inflação. O aumento da inflação é racionamento de alimento na casa do pobre”.