Pular para o conteúdo

Pnad aponta que quase um quarto da população acreana tem entre 25 a 39 anos

 O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na manhã de ontem (27), a edição de 2012 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a Pnad. O estudo revela que o Acre superou a casa dos 782 mil habitantes, no ano passado.  De fato, em 1 ano, entre 2011 para 2012, o Estado teve um crescimento populacional de 1,69%, o que equivale a cerca de 13 mil pessoas a mais morando no Estado.

 Do perfil da população local, a maioria dos acreanos tem entre 25 a 39 anos. Há 183 mil pessoas no Estado em tal faixa etária. Ou seja, trata-se de um povo relativamente jovem. A 2ª faixa etária que prevalece no Estado é a entre 40 a 59 anos, com 135 mil acreanos. O 3º grupo é de idades entre 10 a 4 anos, que conta com 91 mil acreanos. O 4º é o de adolescentes de 15 a 19 anos (84 mil acreanos), seguido da faixa infantil de 5 a 9 anos (82 mil acreanos). Outros 78 mil acreanos têm entre 0 a 4 anos, 73 mil têm entre 20 a 24 anos e 57 mil são idosos (60 anos ou mais).

 Da parte de naturalidade, 687 mil pessoas (87,8%) que moram no Estado são acreanos, enquanto os demais 96 mil são naturais de outras unidades da federação (12,2%). Dos residentes em municípios do Estado, a pesquisa aponta que 522 mil acreanos (60,6%) nasceram e moram na sua cidade natal. Já os demais 260 mil acreanos (39,4%) moram longe da sua cidade de origem.

 Outros dados interessantes das estatísticas de 2012 do IBGE é que no Acre a taxa de escolarização de crianças e pré-adolescentes de 6 a 14 anos é de 95,6% (em 2011, esta média era de 96,25%); a taxa de acreanos acima de 15 anos ocupadas com alguma atividade profissional é de 66,73%, equivalente a 355 mil pessoas, dos quais 204 mil são homens e 152 mil são mulheres (a taxa de desocupados remete-se aos 33,27% restantes, ou seja 177 mil acreanos).
Ao todo, a Pnad foi realizada pelo método de amostragem, ouvindo 362.481 brasileiros, em 1.100 cidades. Já no Estado, o IBGE entrevistou 4.109 acreanos, indo a 1.507 domicílios em 11 municípios locais.   

 O Estado que atrai acreanos – Ainda segundo o estudo, muitos acreanos migram para estados vizinhos, na esperança de ter uma qualidade de vida melhor e mais oportunidades de trabalho e renda.  Um exemplo dos destinos que mais atraem acreanos é o Amazonas, em especial a sua Capital, Manaus. De acordo com a pesquisa do IBGE, o Amazonas hoje é considerado como um lar para 67 mil pessoas que nasceram no Acre e depois foram para o maior estado do Norte.

 Desta forma, os acreanos são o 2º maior povo da população de migrantes brasileiros no AM, atrás apenas dos paraenses, que somam 199 mil pessoas no estado vizinho.