Pular para o conteúdo

PRF alerta para perigos nas estradas no feriado

 Com o feriado prolongado, o volume de carros nas estradas aumenta e, para prevenir acidentes e reprimir a criminalidade nos municípios de fronteira com Peru e Bolívia, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) promove a Operação Independência, que vai até domingo, 8.

 Os motoristas devem estar atentos à documentação e aos equipamentos de uso obrigatório dos veículos, além de ter atenção sobre os limites de velocidade e sinalização das vias, assim como a regra de não combinar álcool e direção.

 Os destinos mais comuns neste período são Fortaleza do Abunã/RO e Cruzeiro do Sul na BR-364. Já na BR-317, um dos destinos mais comuns é Brasiléia, que é vizinha da cidade boliviana de Cobija. Os trechos urbanos da BR-364 também recebem vigilância especial, principalmente as regiões de maior índice de acidentes, como é o caso da Via Verde e Distrito Industrial até o Bujari.

 O chefe do Núcleo de Policiamento e Fiscalização da PRF no Acre, inspetor Nelis Newton, destaca que a forma mais eficaz de evitar acidentes é por meio da direção defensiva.

 “Dirigir defensivamente é ter uma postura preventiva e agir sempre no sentido de evitar acidentes, mesmo diante das condições adversas e das atitudes incorretas dos outros. Além disso, vale a pena verificar as condições do carro. Evite situações perigosas, não ultrapasse nas curvas, pontes e trevos e mantenha uma distância de pelos menos 3 segundos em relação ao veículo da frente”, destaca.

 Segundo o inspetor da PRF, Fabrício Jucá, não há informação sobre acidentes causados pela fumaça nas estradas acreanas em 2013. Mas confirma que o perigo existe e, por isso, os motoristas devem ter muita atenção nesse período.

 “É comum quando há muita fumaça, os condutores reduzem a velocidade devido à redução da visibilidade. Além disso, é necessário acender os faróis e sinalizar se for estacionar no acostamento. Se houver queimada perto da pista, o motorista pode comunicar à PRF através do telefone 191 para que os órgão ambientais sejam comunicados e medidas sejam tomadas”, orienta o inspetor.