Pular para o conteúdo

Ainda é pouco

Tudo o que puder ser feito para que o Supremo Tribunal Federal não decrete a demissão desses 11 mil servidores do Acre ainda é pouco pelo drama e pode-se dizer mesmo pela  injustiça que se praticará contra eles.

Como se noticiou ontem, o STF apenas adiou por mais alguns dias o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade que selará a sorte desses servidores. Na próxima semana, porém, é provável que a matéria entre na pauta novamente e, a rigor, ninguém sabe o que poderá ocorrer.

Aliás, pelo rigor da lei, já se pode antever. Serão demitidos e pronto, com todas as consequências que também se pode prever.

Por isso mesmo, que se exige dos governantes deste Estado e, sobretudo, da classe política e, de modo especial, da bancada federal do Acre um esforço concentrado para mostrar aos ministros do STF o drama que representaria a demissão desses 11 mil funcionários e, por extensão, às suas famílias.

Até agora, com exceção de alguns parlamentares, não se viu uma ação mais coordenada e veemente da bancada federal para reverter essa situação.