Pular para o conteúdo

“A criação de empregos de vocês me impressionou”, diz embaixador Chinês”

O governador Tião Viana (PT) recebeu na manhã de ontem, 11, no Palácio Rio Branco, o embaixador da China no Brasil, Li JinZhang, e representantes do Banco Chinês. Passo a passo foi apresentando à comitiva chinesa. Os investimentos nas mais diversas áreas da economia. A intenção é tornar a China uma parceira no desenvolvimento do Acre, principalmente com participação na Zona Processamento de Exportação (ZPE).

Tião Viana disse que o século XXI é o século do Oceano Pacífico. Ele ressaltou a construção de uma ferrovia que interligará todo o Brasil com os países andinos, em especial com o Peru. A ideia, assim, é criar uma rota comercial com a Ásia.

“Queremos fazer do Acre uma porta de entrada e saída de produtos. O século XXI é o século do Oceano Pacífico”, afirmou o governador, que também se mostrou bem otimista com a presença do embaixador Chinês.

Quanto à ZPE acreana, Tião Viana pontuou que tem a mesma finalidade da Zona de Exportação chinesa, ou seja, fortalecer a industrialização. Ele ressaltou que a diferença da ZPE acreana para as de outros países é que aqui a zona adotou uma medida de não cobrar impostos de insumos que entram e produtos que saem dela.

“A entrada de insumos e a saída de produtos são a custo zero. Diferente da China, que ainda cobra 17%. Aqui não. A única condição que temos é que se exporte 80% e 20% se comercialize no Brasil”, enfatiza o governador.

Pelo menos 4 projetos estão aprovados para a implantação na ZPE. A tendência é que novos projetos sejam liberados pelo Ministério da Indústria. Na explanação feita aos chineses, foi explicado que cabe ao conselho do Ministério da Indústria promover a aprovação dos projetos.

A comitiva chinesa teve a oportunidade de conhecer os projetos em piscicultura, como é o caso do Complexo de Piscicultura do Acre, criação de frangos, suinocultura, pecuária. No setor madeireiro foi apresentado projetos de reflorestamento para a produção de energia e para suprir as empresas do setor moveleiro. Nesse sentido, o governo também apresentou seu plano na área de manejo sustentável. Em todos os projetos, foi exposta a forma de participação, como acordos comerciais ou participação societária.

O embaixador chinês se mostrou interessado nos projetos executados pelo governo estadual e acrescentou que a China e o Acre tem pontos divergentes. Enquanto no Acre há uma densidade demográfica pequena, na China há um grande contingente populacional.

“Aqui a extensão do Estado é maior que na China. Então, essas diferenças podem se tornar as oportunidades de coo-peração que esperamos. O nível de relação entre Brasil e China aumentou consideravelmente, mas acredito que as nossas cooperações ainda estão num nível pequeno daquilo que deveria ser”, argumenta JinZhang.

Ele elogiou a política adotada pelo governo. Classificou como abertas às relações comerciais e destacou a geração de emprego promovida pelas políticas governamentais em apoio à iniciativa privada. “Na criação de empregos, vocês trabalham muito bem, e isso me impressionou. O vosso conceito é de uma política de espírito flexível e aberto”.

Após a reunião que contou com a presença de parlamentares acreanos, secretários de Estado, representantes de federações e empresários, a comitiva seguiu para conhecer o Complexo de Piscicultura e o Projeto Cidade do Povo.