Pular para o conteúdo

Governador Tião Viana é recebido pelo ministro da Presidência da Bolívia em Cobija

Na noite de sexta-feira, 15, o governador Tião Viana esteve em Cobija, no departamento de Pando, na Bolívia. Ao chegar no país vizinho, o governador recebeu, do presidente da Câmara de vereadores a declaração de hóspede ilustre. Ele foi recebido pela prefeita de Cobija, Analucia Reis Melena, o governador de Pando, Luis Adolfo Flores Roberts e o ministro da Presidência da Bolívia, Juan Ramón Quintana Taborga. O representante do governo boliviano esteve recentemente na capital acreana em missão para conhecer as experiências bem sucedidas do Estado, especialmente o complexo industrial  de piscicultura. De volta ao seu país, já conseguiu aportar recursos necessários para desenvolver o programa. “É muito importante para a saúde e também para a conservação da Amazônia pensar que através da piscicultura podemos diminuir também o consumo de carne, é muito mais rentável para o fazendeiro”, disse  Analucia Reis Melena, prefeita de Cobija.

Participaram do encontro fazendeiros, representantes da Universidade Amazônica de Pando, dos setores empresariais e poder público, que discutiram como poderia haver mais parceria para o desenvolvimento da economia, indústria e produção de alimentos entre os dois países a partir dos estados vizinhos. “Temos a experiência do governo do Acre em informação, capacitação, na piscicultura, bovinocultura, avicultura, suinocultura, toda experiência que tem é grande, por isso creio que essa experiência é importante para o departamento de Pando”, explica Luis Adolfo Flores Roberts, governador de Pando.

Em 2 semanas será apresentado um plano de trabalho para a implantação da piscicultura, e em uma semana será feita uma visita técnica. “O Acre e essa província têm uma similaridade geográfica muito grande. O que muda é a realidade econômica, política, os critérios administrativos e ambientais, mas do ponto de vista técnico é igual”, comenta Jaime Brum, empresário responsável pela implantação do projeto de piscicultura no Acre.

A princípio, essa relação entre os 2 países vai se caracterizar pela cooperação em matéria de desenvolvimento produtivo, tendo como alvo a piscicultura, mas também pode incluir manejo madeireiro e produção de frutas tropicais. A partir do encontro  também podem surgir futuras cooperações como intercâmbios educativos, formação técnica em áreas de produção, investigação científica e compartilhamento de experiências do que cada país acumula à sua maneira.

“Estamos prontos a trazer tudo que está dando certo no Acre como cooperação ao povo boliviano, ajudando num desenvolvimento integrado. E podemos compartilhar experiências e produtos da Bolívia com o mercado acreano. Essas fronteiras abertas, essa união pelo desenvolvimento das nossas comunidades, têm uma importância muito grande”, conclui Tião. (Celis Fabrícia / Agência Acre)