Pular para o conteúdo

Rio Branco receberá repasse do MS para combater o mosquito da dengue

dengueO Ministério da Saúde repassará mais de R$ 360 milhões para municípios de todo o país intensificarem o combate ao mosquito da dengue, o Aedes aegypti. A medida foi publicada na edição de ontem, do Diário Oficial da União, após ser divulgado o quadro da situação de risco e de alerta da doença em várias cidades do país, de acordo com o Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (Liraa).

Apesar de Rio Branco estar entre as capitais em situação de risco no mapa da dengue, dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam avanços no combate à doença.

O estudo foi realizado nos meses de outubro e início de novembro em 1.315 cidades brasileiras. O objetivo era identificar onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor nesses locais.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Marcelina Alexandrina, Rio Branco, assim como outras cidades acreanas, possui um clima favorável à proliferação do mosquito transmissor da dengue. “Os meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro são caracterizados pela quantidade de chuva na região. Portanto, é natural que a gente apareça em situação de risco”, explica.

A classificação das situações de cada estado da dengue é classificada por número e acima de 3,9 já é considerado de risco.

Após o Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (Liraa), ficou constatado que em novembro deste ano, Rio Branco apresentava um Índice de Infestação Predial (IIP) de 4,14. Em 2012, na mesma época do ano, os números batiam em 6,39. A redução do índice foi de 35%.

“Tivemos apoio do Estado, dos agentes comunitários, capacitamos enfermeiros, orientamos e conscientizamos os estudantes, além de distribuirmos tampas de caixas, dentre outros esforços para combater qualquer tipo de epidemia. Este já é o 2º ano sem óbito por dengue”, relata.

Para ampliar o trabalho desenvolvido no município, 30 novos agentes de controle de endemias, que prestaram concurso, já foram chamados e passam por capacitações no momento. Estima-se que eles iniciem os trabalhos na próxima segunda-feira, 25.

Segundo a secretária, em outubro, o Ministério da Saúde atualizou a classificação da dengue. Dessa forma a doença passou a ser definida em 3 tipos: Dengue; Dengue com sinais de alerta; e Dengue grave.

“Rio Branco manteve-se dentro do previsto. Mesmo quando a dengue tipo 4 estava circulando, não houve epidemia. Ainda assim, estamos sempre em alerta, sem baixar a guarda, com um planejamento montado e pronto para entrar em ação, caso necessário. E essa quantia enviada pelo Ministério da Saúde só irá acrescentar”, afirma.