Pular para o conteúdo

Instituto Ecumênico debaterá consciência negra amanhã e elegerá nova diretoria

Prestes a completar 8 anos, o Instituto Ecumênico Fé e Política do Acre (Iefp) tem muito a comemorar. Com a missão de difundir uma educação cultural de ecumenismo, compreensão e tolerância religiosa entre as diversas denominações que atuam no Estado, a entidade vem articulando uma série de medidas para expandir as suas ações.

Neste sábado, dia 23, o instituto aproveita a ocasião desta semana que marca o Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro, alusão à data da morte do ícone brasileiro ‘Zumbi dos Palmares’, último líder do quilombo dos Palmares, morto em 1695, em Pernambuco) para promover um grande debate sobre a temática. O encontro está marcado para às 8h e deve durar até o final da manhã, no Salão Paroquial da Catedral de Rio Branco.

Segundo o secretário geral do Iefp, o teólogo Manoel Pacífico, a entidade reunirá os seus associados e alguns pais e mães de santo, entre outros adeptos das religiões de matrizes africanas, para destacar as conquistas, avanços e reptos da consciência negra no Estado.

Após a discussão do tema, o instituto realizará uma assembleia ordinária com o objetivo de eleger a sua nova diretoria para o triênio de 2014, 2015 e 2016. Será formada uma chapa consensual para a diretoria, conforme estabelece o estatuto da entidade.

Mas o quê esta nova diretoria terá de desafios pela frente? Dar continuidade aos desafios e trabalhos desenvolvidos pelo Iefp até agora. Um deles, segundo Pacífico, é concretizar a proposta do Curso de Pos-graduação de Ciências da Religião, que já tem, inclusive, a aprovação do presidente da Faculdade Diocesana São José (Fadisi), o bispo dom Joaquín Pertiñez. O curso é de ‘latu sensu’ e sua novidade é o caráter ecumênico. Ele possuirá 360h de carga horária e está previsto para começar em março do ano que vem.

O diferencial deste projeto, afirma o secretário do Iefp, será o seu quadro de professores formado por mestres e doutores, tais como Airton Rocha, Enock Pessoa, Carlos Paula de Moraes, Clodomir Monteiro, Tereza Cruz, Mayra Faro, Jacó Piccoli, Grace Gotelip, Prof. Pinheiro e Francelino, entre outros.

Outra grande missão da nova diretoria será começar a erguer a tão sonhada sede própria  do instituto. De acordo com Manoel Pacífico, nos últimos anos esta luta tem avançado bastante. Deputados federais e senadores já manifestaram seu apoio para levar adiante este projeto da sede, através de emendas parlamentares.

A planta do prédio está sob a responsabilidade da arquiteta Dânya Silva. O que dá para adian-tar é que tal planta prevê 1 auditório para 100 pessoas e 2 salas de aula para 30 pessoas cada, um Centro de Documentação de Igrejas e Centros Religiosos, além de 1 Biblioteca Ecumênica, que reunirá vários livros religiosos e será usada por professores, alunos e lideranças religiosas.