Pular para o conteúdo

Grupo do Ifac visita A GAZETA para falar sobre o processo de internacionalização do instituto

Intecâmbio - OLO conhecimento é tudo. E, às vezes, sair do âmbito local e estender as fronteiras do saber até outros países, outras realidades, enriquece o aprendizado. Atento a isso, o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac) está investindo em um novo eixo de atuação: a internacionalização.  Na tarde de ontem, 27, um grupo composto pelo reitor do Ifac, Breno Silveira, pela assessora de Relações Internacionais, Ana Paula Vieira, e por 5 alunos do Ifac que viajarão para Portugal, visitaram a Redação de A GAZETA e falaram sobre este processo de intercâmbio.

O reitor Breno Silveira destacou que o processo de internacionalizar os estudos está começando com um grupo de estudantes que foi para o Canadá e com este 5 alunos que agora irão fazer o intercâmbio no Instituto Politécnico de Castelo Branco, em Lisboa. Dos 5, 4 vieram de Xapuri e 1 veio de Cruzeiro do Sul. Eles vieram para Rio Branco ontem e se preparam para sair daqui nesta sexta, 29, e devem chegar à Portugal no dia 30. Ainda neste ano, mais 25 alunos devem visitar o Peru.

Mas de onde surgiu a ideia de fazer intercâmbios com os alunos? Breno Silveira conta que o Ifac foi implantado no Acre há 3 anos. Na sua gestão, nos últimos 1 anos  3 meses, a estratégia do instituto era levar o ensino até o interior. Assim o Ifac instalou sedes fixas em 5 cidades e se fez presente em 19 municípios acreanos. Missão cumprida. Mas era preciso novos desafios. A partir daí surgiu a proposta de internacionalizar o ensino. Desde então, o Ifac já firmou oito termos de cooperações com instituições de ensino estrangeiras. E, para 2014, a previsão é de mais parcerias.      

Os 5 estudantes que irão para Portugal, segundo a assessora Ana Paula Vieira, enviaram seus projetos e atenderam todos os critérios em 2 fases de escolha. A primeira delas foi a pesquisa em inovação, que avaliou a importância do trabalho para o Estado. A segunda etapa foi a análise do histórico dos acadêmicos e de seus perfis estudantis, com a frequência, notas, participações, etc. Eram 10 vagas, mas apenas 5 atenderam a todos estes requisitos.
Breno e Ana Paula explicaram que os alunos passarão 5 dias em Portugal. Para tanto, eles receberão uma bolsa de R$ 17 mil para arcar com custos de passagens, de passaporte, seguro saúde, etc.          

Os 5 projetos contemplados para Portugal foram: o de utilização método OPG para controle de helmintoses de ovinos em Xapuri/AC, da bolsista Maria do Carmo Moreira do Nascimento; o de avaliação da matéria orgânica leve em solos submetidos a diferentes manejos, do bolsista Ericles  Ferreira dos Santos; o da receita própria de biofertilizante efi-ciência em diferentes concentrações na cultura do milho crioulo, da bolsista Rosangela Silva Lima (a única de Cruzeiro do Sul); o de avaliação do teor de DDT e seus metabólitos no solo do meio rural de Xapuri, do bolsista Ademar de Almeida Lima; e o de Análise dos parâmetros físico-químicos da água de abastecimento de Xapuri, do bolsista Jorgenilson Ferreira de Oliveira. (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)