Pular para o conteúdo

A arquiteta que escolheu contribuir com o Acre

Marlucia foto1611131086A simplicidade salta aos olhos ao 1º contato com Marlúcia Cândida, arquiteta que tem se doado ao Acre como primeira-dama, mas que também é mãe de três filhos, e optou por contribui como servidora pública na organização, projeção e promoção de um Acre preparado para o progresso, mas, jamais sem perder seus traços originários de um lugar da Amazônia. Com uma voz calma e hospitalidade típica de uma boa acreana ela recebe a reportagem numa manhã de sábado.

Com tantos afazeres e obrigações comuns a todas as mulheres ocidentais modernas ela credita a desenvoltura para conciliar sua carreira, as atividades familiares, a devoção às causas políticas e sociais à natureza feminina.

“Saber lidar com múltiplas responsabilidades é inerente ao lado feminino e isso se aliou a minha personalidade. Sou muito inquieta, preciso sempre ter o que fazer. Gosto muito da minha profissão, não abro mão dela, mas também gosto muito do movimento político, de opinar na vida pública e contribuir, ao mesmo tempo em que curto ficar em casa com a minha família, almoçar em família e também gosto de organizar a vida doméstica da minha casa”, comenta.

Ela acrescenta que o governo do Estado valoriza o trabalho feminino, a capacidade que as mulheres têm de atuar em várias frentes e traz à gestão pública o lado humano do acolhimento, uma natureza típica das mulheres. “Nem sempre temos a solução para tudo, mas sempre estamos dispostos a ajudar, a ouvir”.

Num rápido olhar pela casa da arquiteta fica evidente que Marlúcia realmente tem amor por sua profissão e pelo Estado que têm suas raízes expostas em objetos indígenas, móveis em madeira rústica, fotografias ou em simples cadeiras de balanço, tão comuns em tantas casas pelo Acre.

Um amor, uma causa – Marlúcia confessa que pelo amor a sua profissão, sempre buscou aprimorar seus conhecimentos por meio dos estudos e assim, implementar, na prática as teorias da Arquitetura e do Urbanismo em seus projetos mantendo traços da cultura do povo acreano.

Ela lembra que o caminho para a formação foi extenso, começando pela graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e seguido de especialização com a pós-graduação em Planejamento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Acre (Ufac), mestrado em Arquitetura pela Universidade de Brasília (Unb) e pós-graduação em Lighting Design pelo Instituto de Pós-Graduação (Ipog).

Hoje, Marlúcia Cândida contribui em projetos do Estado como servidora pública concursada pela Prefeitura, mas cedida ao Estado. Cessão possível graças à parceria que há entre a gestão da Prefeitura de RB e o Governo do Acre.

“Esse meu amor pela arquitetura e qualificação que busquei me possibilitou ajudar a montar e coordenar o curso de Arquitetura da Uninorte, por quatro anos e hoje ser professora do curso”, ressalta. (Nayanne Santana / Agência Acre)