Pular para o conteúdo

Não basta

Durante a plenária do Partido dos Trabalhadores, realizada no final de semana para a posse do seu novo presidente regional, o governador Tião Viana fez uma observação  afirmando que os partidos de oposição não têm projeto político e, sobretudo, econômico para o Estado.

Trata-se de uma observação ou provocação pertinente que os diversos partidos oposicionistas precisam responder não apenas com palavras, mas na prática.

O que se tem obsevado nesses tempos que precedem a campanha eleitoral do próximo ano é que, de fato, os partidos de oposição tem-se apressado em lançar candidatos ao Governo do Estado – candidatos até demais – e até agora pouco ou nada têm se preocupado em debater e apresentar projetos, planos, propostas para administrar o Estado.

O que se tem assistido até agora são discursos vazios ou simplesmente ataques ao atual Governo ou ao seu partido, sem que se apresente projetos consistentes para se contrapor ao que se vem executando no Estado nos mais diferentes segmentos da economia e na área social. Ou apenas apostar no desgaste de quem está no poder.

Isso não basta. A experiência tem demonstrado que a sociedade, os eleitores estão cada vez mais exigentes. Querem projetos, propostas concretas, objetivas para a resolução dos seus problemas.