Pular para o conteúdo

Os ‘Sem Projeto’

Dois mil e treze vai ficando no passado com uma forte afirmação de futuro para o Acre: a inserção do petróleo na economia regional. A partir do leilão realizado pela Agência Nacional de Petróleo, em 28 de novembro, com a Petrobrás arrematando a primeira área a ser explorada na região do Juruá, nosso Estado tem uma nova e rica frente econômica para construir nos próximos anos.

A iniciativa da atividade petroleira, destacando a exploração de gás para geração de energia limpa, também é mais uma demonstração do caráter amplo do projeto de desenvolvimento sustentável que a Frente Popular empreende no Estado.

É fundamental observar este aspecto, pois ele assinala as inovações do governador Tião Viana, a partir das mudanças iniciadas nos mandatos de Jorge Viana e Binho Marques, para renovar e manter o projeto do Governo do Acre inserido na economia nacional globalizada, conectado à sociedade do Século 21 e atento às necessidades das pessoas mais pobres.

E 2014 vem aí. O noticiário já é de clima eleitoral. Na oposição pululam pretendentes ao Governo do Estado, mas estes tantos candidatos pouco expõem ideias, quase não falam de propostas e nenhum deles apresenta um projeto.

A falta de conteúdo da oposição fica clara no movimento desencontrado dos seus candidatos. Uns postulam ora o governo, ora o Senado. Outro reinventa “vaca mecânica” importando “candidato biônico”. No verde da floresta, jacaré pede cobra d’água em casamento. E as alianças oposicionistas caminham com a lógica do carro na frente dos bois, pois os cargos vêm antes dos encargos. Antes do “que fazer”, vem “quem vai fazer”.

Já pensou se para fazer um conserto em sua casa, você contratasse primeiro uma pessoa e só depois fosse ver se o serviço a ser feito era elétrico ou hidráulico? Restaria o risco de explicar que o vazamento continua porque a torneira foi consertada pelo rapaz da internet.

A verdade é que o projeto de desenvolvimento sustentável da Frente Popular do Acre, liderado pelo governador Tião Viana, não tem um contraponto para o debate em 2014. Por enquanto a oposição segue como o movimento dos “Sem Projeto”.

Gilberto Braga de Mello é jornalista e publicitário.
E-mail: [email protected]