Pular para o conteúdo

Governador beneficia mais 1.500 famílias com pequenos negócios

Centenas de famílias pobres registradas no CadÚnico agora têm a oportunidade de ter seu próprio empreendimento Foto Sérgio ValeSecomQuando o governador Tião Viana criou a Secretaria de Pequenos Negócios (SEPN), ele tinha um sonho: o de retirar famílias da extrema pobreza, gerando uma oportunidade de emprego e renda. E na manhã desta quarta-feira, 4, numa grande cerimônia na Gameleira, esse sonhou deu mais um passo para a realidade com a entrega de centenas de equipamentos – capazes de beneficiar mais de 1.500 famílias, que poderão criar seu próprio empreendimento -, num investimento de mais de R$ 5 milhões.

“Hoje ouvi um pai de família dizer: ‘Tião, meu filho entrou nesse negócio do mel e largou as drogas para trabalhar’. Vi mulheres que costuram roupinhas para bebê e outras que já estão fazendo vestidos de noiva. Tem vendedor de cachorro-quente tirando mais de R$ 2,5 mil por mês e cabeleireiro, mais de R$ 3 mil. Pessoas que nós ajudamos. É isso que a gente quer dar para vocês: oportunidade. Porque se tiver uma chance de trabalhar, o povo acreano dá conta de todas as dificuldades”, disse o governador Tião Viana.

Além de empreendedores individuais, 18 cooperativas foram beneficiadas pelo investimento do Governo Federal em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Entre os equipamentos entregues podemos destacar um microônibus,  uma  van; sete caminhões; um  trator para produção  de alimentos industriais; e centenas de máquinas de costura industrial, extração de óleos, reciclagem, produção de sabonetes, roçadeiras e tantos outros tipos.

Também serão feitos investimentos em obras e o convênio assinado entre o Governo do Estado e o Governo Federal ainda destina mais R$ 3 milhões para ações da SEPN. Em passagem pelo Acre, o secretário adjunto nacional de Economia Solidária, Roberto Marinho Silva, enalteceu o trabalho do Acre no ramo, citando que Rio Branco já é conhecida em Brasília como a “capital da economia solidária”. “É assim que fazem mudanças. Com emoção, alegria, de coração. Só com esse sentimento é possível realizar o que estamos fazendo hoje. A presidenta Dilma diz que esse país só será desenvolvido quando não tivermos mais pessoas em situação de extrema pobreza e esse é nosso maior objetivo”, reforçou Roberto.

Vidas que mudam
Os investimentos em pequenos negócios têm feito uma verdadeira revolução na vida de pessoas como Maria Damasceno Serra. Há dois anos, abandonada pelo marido e com dois filhos para criar, ela caiu em desespero e depressão. Assistida pela SEPN, ela completou um curso de corte e costura e ganhou sua máquina. “Comecei a ganhar bem, paguei minhas dívidas, me animei. Consegui fazer a nova área da minha casa por R$ 5 mil”, comemora a nova pequena empreendedora.

Agora, Maria Serra faz novos planos e espelha os novos beneficiados a conseguirem o mesmo caminho. “Hoje tenho uma renda, consigo sustentar eu e meus filhos. Devo muito a nossos governantes. Quero agradecer muito ao governador Tião Viana”. A cerimônia também foi marcada pela emocionante entrega de certificados de cursos de capacitação oferecidos por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Beneficiada com essa nova leva de equipamentos, a pescadora Maria de Andrade Leão não conseguiu deixar de segurar a emoção. “Nesse momento, o governador Tião Viana está fazendo mais de 1.500 famílias felizes, inclusive a minha. Obrigada mesmo, tenho muito a agradecer”, disse a pescadora.
Unir dedicação e técnica

A força da mulher foi a mais ressaltada, já que, segundo a própria SEPN, a cada dez pequenos negócios criados, oito são de mulheres. O secretário estadual de Pequenos Negócios, José Carlos Reis, reforçou o compromisso e garra da sua equipe com mais esse grande passo na luta contra a pobreza. “Desde o primeiro dia de governo, estamos com esse objetivo de tirar as pessoas da pobreza, dando pra elas uma oportunidade. O que fica é essa vontade de continuar construindo com vocês e para vocês, porque nosso objetivo não é conquistar números, mas mudar vidas”, celebrou o secretário.

Já o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, grande apoiador e fomentador da Economia Solidária, fez questão de falar de suas dificuldades de vida na infância. Ele relatou que sua mãe precisou, sozinha, gerar alguma renda e tentou a sorte como cabeleireira. Segundo o prefeito “ela tinha a dedicação e força de vontade, mas não tinha a técnica. E agora estamos corrigindo isso. Encontramos as pessoas com determinação e damos a técnica e o apoio para elas mudarem de vida. Isso é dar uma chance”. (Samuel Bryan / Agência Acre)