Pular para o conteúdo

Campanha ‘Conte até 10’ nas escolas é lançada na Capital

LX5W4528No mundo virtual, tornou-se comum a postagem de vídeos de alunos se agredindo fisicamente. Muitas vezes, nem o professor escapa. Não há dúvidas de que a violência invadiu as salas de aula. Para divulgar uma cultura de paz, o Ministério Público do Estado (MP/AC), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, lançou na tarde de ontem, 10, a Campanha ‘Conte até 10 nas Escolas’. O evento contou com a participação do coordenador Nacional da Campanha e representante do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) na Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), Alexandre Saliba.

O foco é o ensino médio, que receberá cartilhas com roteiros de aula que englobam em torno de 4 temas centrais: vida e morte; direitos e deveres dos adolescentes; violência nas escolas e bullying; e enfrentamento da violência nas escolas.

A campanha surge com uma mensagem de paciência, tolerância e reflexão para evitar atos de violência, especialmente homicídios, cujas consequências são individual e socialmente desastrosas.

O trabalho é um desdobramento da campanha ‘Conte até 10. Paz. Essa é a atitude’, lançada nacionalmente em 2012, como uma ação da Enasp, explica o conselheiro Alexandre Saliba. “A mensagem que trazemos é a promoção do diálogo, uma vez que o ensino médio é a etapa anterior à vida adulta. É uma campanha que já deu resultado de modo geral e agora resolvemos, diante do êxito desse trabalho da Enasp, trazer a ideia para o âmbito das escolas de ensino médio de todo o Brasil. A proposta é reduzir violência juvenil e o número de homicídios por motivos fúteis”.

De acordo com a procuradora-geral do MP/AC, Patrícia Rêgo, o próximo passo será estender a campanha para municí-pios do interior. “Há um cronograma a ser cumprido em várias escolas. Contamos com a adesão dos alunos, dos professores e de toda a sociedade em geral. Hoje é um dia emblemático para lançar esse trabalho, quando o mundo chora a morte do Mandela, que foi o símbolo dessa cultura de paz”, declara.

Segundo o coordenador da Campanha no Estado, Carlos Maia, espera-se alcança um amadurecimento dos temas em sala de aula, para que os assuntos sejam levados à discussão no seio familiar e comunitário. “Nós temos acompanhado na mídia muita violência e, principalmente, agressões não só de alunos entre si, mas também entre professores e jovens. Esperamos que com o lançamento do ‘Conte até 10 nas escolas’ haja uma reflexão sobre essa situação e que seja implantado um bom convívio nesse ambiente”, estima.

A diretora da Escola Esta-dual Leôncio de Carvalho, Rosilene de Araújo, vive essa realidade de perto. Os tipos de violências mais comuns, segundo ela, são as agressões físicas e o bullying. No entanto, a gestora acredita que com um trabalho de conscientização, é possível superar os desafios. “Diante dessa realidade, a campanha surge de forma valiosa para a educação de todo o Brasil. Nós estamos precisando, já que atualmente não há mais o respeito entre comunidade, aluno e professor. Porém, esse índice tem diminuído na nossa escola, graças à aproximação da comunidade”, revela.

O secretário Estadual de Educação, Daniel Zen, informa que os professores serão orientados a trabalhar o tema violência sob o olhar da valorização da vida e da mudança de comportamento para enfrentar situações-limite. “Essa questão problemática também ultrapassa as fronteiras da escola, tanto de fora para dentro como vice e versa. Nesse sentido, ‘Conte até 10 nas Escolas’ vem também atender uma necessidade nossa, do sistema”, afirma.