Política local 31/01/2014

“Guardem, do saber, o que for essencial para a felicidade”.
(Ane Jules de Noailles)

Caminhos separados
O senador Sérgio Petecão (PSD) e o deputado federal Gladson Cameli (PP) tiveram ontem uma conversa prática. Petecão lhe fez ver que ao assumir a articulação da candidatura ao governo de Márcio Bittar (PSDB), automaticamente, perdeu o seu apoio e do Tião Bocalom (DEM). “Você jamais teria que assumir uma candidatura, deveria ser magistrado e não foi”, enfatizou.

Minha opinião
Não sei quem é o orientador político do Gladson Cameli (PP). Mas, deveria mandar embora. Era lógico que ao colar seu nome ao de Márcio Bittar afastaria o apoio de Petecão e Bocalom.

Criou um flanco
Com isso, Gladson Cameli criou adversários internos que, em represália, estão apoiando o advogado Roberto Duarte (PMN) ao Senado que, se não ganhar, lhe atrapalha e muito.

Um exemplo
Hoje, Sérgio Petecão segue com Roberto Duarte, para fazer campanha em Sena Madureira.

Candidato oficial
A presidência do PEN deverá oficializar dentro da FPA, quando o debate for aberto, o nome do deputado Lira Mo-raes (PEN) para ser o primeiro suplente na chapa do candidato ao Senado.

Leal ao projeto
Na Assembléia Legislativa, Lira Moraes é um dos deputados mais leais ao projeto do governo.

Ecumenismo político
O governador Tião Viana faz um governo laico. Entregou ontem documentos de titulação de áreas de igrejas evangélicas, católicas, terreiros de candomblé, de centro espírita e de daime.

Não por mérito
Na minha avaliação a Perpétua Almeida (PCdoB) ganha do Aníbal Diniz (PT) na preferência na FPA, para o Senado. Não por mérito pessoal, mas, pela simpatia do Tião Viana ao seu nome.

Colocou numa recuca
Sérgio Petecão (PSD) colocou o deputado federal Márcio Bittar (PSDB) numa recuca ao propor que todo mundo abra para Tião Bocalom (DEM) ser o candidato único da oposição ao governo.

Não vive arrotando?
Márcio Bittar não vive arrotando que não é empecilho à unidade da oposição? É hora dele, então, provar se fala isso mesmo para valer ou só é retórica política para posar à platéia.

É de entusiasmar
Não importa que a obra esteja sendo feita pelo governo Tião Viana, importa mais o impacto social que a “Cidade do Povo” vai causar, beneficiando milhares de famílias de baixa renda.

Complexo moderno
É um complexo moderno, com casas bem acabadas, dotadas de energia solar, posto médico, vinte e três unidades escolares, trinta e seis unidades esportivas, além da estrutura comercial.

Tem que ser duro
Até o fim de fevereiros 353 famílias estarão saindo da área alagadiça da Baixada da Habitasa para a “Cidade do Povo”. Agora, o governo tem de jogar duro para evitar uma reocupação.

É enxugar gelo
Caso contrário é o mesmo que ficar enxugando gelo, resolve um problema e cria outro.

Nome do vice
O governador Tião Viana ficou de anunciar na próxima segunda-feira o seu vice.

Bolsa de especulações
Na bolsa de apostas, estavam ontem: Nazaré Lambert, Irmã Nair, apóstola Dayse Costa, Márcia Regina (tem o empecilho do PV), e a própria deputada Perpétua Almeida.

Nó é outro
O nó cego não é a questão do vice, o que for escolhido (a), não terá resistência, é escolha pessoal do governador, mas sim, quem será o candidato único da FPA para senador.

Regina Lino
Quem se encontra na Capital é a ex-vereadora Regina Lino (PTB), que veio definir se será candidata a deputada federal. Extremamente qualificada. Foi vice-prefeita de Jorge Viana.

Nome de tradição
Regina Lino vem de uma família de tradição política, seu pai, o saudoso deputado federal Ruy Lino, chegou a ser governador do Acre. Sua eleição daria qualidade à nossa bancada federal.

Nome à disposição
Quem procurou ontem Tião Viana para colocar seu nome como opção para a primeira suplência do Senado foi o presidente do diretório municipal do PSDC, Antonio Klemer.

Dois nomes
O PSDC passa a ter dois candidatos à mesma indicação: Antonio Klemer e pastor Rodson.

Muito comentada
Muito comentada ontem dentro do PT as afirmações feitas pelo senador Aníbal Diniz (PT) na coluna, com argumentos para sustentar que deva ser o candidato ao Senado da FPA.

Só agora, Henrique?
Pelo quadro pintado em seus artigos, a FPA é um inferno cheio de capetas prontos a espetar os incautos. Interessante! Até ontem a FPA tinha o melhor projeto político do Acre, não é Henrique?

Fim da especulação
O quanto mais rápido a FPA matar a questão da escolha do candidato ao Senado, melhor será para as candidaturas majoritárias. A corda já esticou a tal ponto que vai acabar arrebentando e criando uma cisão política perigosa entre PT e PCdoB. O espaço está ficando cada dia mais estreito para o senador Aníbal Diniz (PT) e a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) e só cabe um. Dois é demais.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation