Pular para o conteúdo

Polícia recupera arma de sargento morto em assalto

Policiais da Delegacia Antiassalto, da Polícia Civil, recuperaram a arma do sargento Manoel Valmir Machado, morto depois de lutar contra um assaltante, na madrugada do último domingo, no bairro Tangará, em Rio Branco.

A pistola de uso pessoal do militar, tinha sido levada pelo acusado, Diego Moraes Correia, o “Dieguinho”, de 24 anos, embora o acusado tenha sido atingido também com um tiro nas costas, antes de tomar a arma do sargento.

A arma teria sido escondida por Dieguinho, pouco antes de ele ser capturado.

Conforme o delegado Karlesso Néspoli, após o Diego ter também efetuado disparos contra o policial, ele teria escondido a arma numa casa.

“As pessoas, com medo de entregar a arma esperaram acalmar os ânimos para fazer isso”, frisou Néspoli.

Machado perdeu a vida durante um assalto. Ele teria reagido à ação de um assaltante que o ameaçou com uma faca. Mesmo machucado, o sargento efetuou alguns disparos, atingindo o bandido nas costas, que conseguiu pegar a arma do policial e fugir.

Na mesma madrugada, a polícia prendeu Dieguinho. Ele estava ferido e era atendido pelo Samu.

O delegado explica que a tese de uma emboscada foi descartada nas investigações.

“Não existiu emboscada. Os investigadores levantaram agora que o sujeito estava numa festa e drogado. Ele saiu da festa para cometer roubo, possivelmente para comprar drogas”, disse.
Diego Correia foi indiciado por latrocínio – roubo seguido de morte -, o que configura crime hediondo e uma condenação bem mais alta. Por isso, se sentenciado poderá pegar de 20 a 30 anos de prisão.