O que é a personalidade das pessoas

 Personalidade é o conjunto das características marcantes de uma pessoa, é a força ativa que ajuda a determinar o relacionamento humano, baseado no padrão de individualidade pessoal e social de cada ser, referente ao pensar, ao sentir e ao agir. Personalidade é, assim, um termo abstrato utilizado para descrever e dar uma explicação teórica do conjunto de peculiaridades de uma pessoa. Esse conjunto caracteriza e diferencia uma pessoa das outras.

 Por isso mesmo, como as pessoas não são iguais, a personalidade tem várias facetas que são consideradas como partes integrantes de cada ser. Essas partes ou facetas influenciam as atitudes de cada um de nós humanos. A forma física pode influenciar na autoestima, de maneira positiva ou negativa, alterando o comportamento e a percepção que a pessoa tem de si. O temperamento é responsável pelo comportamento afetivo, à excitação e à atenção.

A personalidade também é influenciada pela inteligência e criatividade onde, através dela, consegue-se encontrar soluções diferentes para as coisas, havendo a abertura diante de novas experiências,  realçando uma competência social onde cada um demonstra a capacidade de defender ou impor os seus interesses, bem como de construir relacionamentos.

A personalidade está ligada à postura de valores, a tendência de julgar determinados objetivos, como a liberdade ou disposições de ações como a honestidade e a lealdade, como desejáveis ou não. As pessoas que têm tendências para a ansiedade valorizam as novidades, enquanto aquelas que são estáveis valorizam a segurança. A personalidade pode ser classificada pelas atitudes, pela autoestima, como o juízo que a pessoa faz de si mesma, o bem estar que sente consigo e com os outros. Esse conjunto representa, também, um traço da personalidade que está ligado à uma parte subjetiva da saúde mental.

Aqui, neste texto, tenta-se definir o que é a personalidade.  O site  personalidade.org  – de onde colheu-se esses dados – objetiva dar informações científicas para ajudar as pes-soas que necessitam melhorar e entender o que é a personalidade e, com isso, compreender melhor  a própria vida, a relação com os outros e com o mundo. O fato é que o trabalho e a vida estão sempre a fazer novas exigências. Se uma pessoa quiser enfrentá-las, com êxito, não pode deter-se e ficar a marcar passo.  Para a humanidade, no seu conjunto, o que tem sido perpetuamente característico, ao longo de milhares de anos, é a insatisfação com o que já foi conseguido. As pessoas estão sempre a querer mais e mais.

 De outra parte, se alguém sucumbe a um sentimento de permanente satisfação consigo própria e não fez nada pelo seu desenvolvimento, então começa a ficar para trás. Semelhante conceito de satisfação é sempre pouco saudável e, ao fim, constitui fonte de total insatisfação com a vida. Assim, para realizar os nossos desejos e pretensões, nas diferentes esferas da vida, deveríamos saber mais do que aprendemos na escola, quer se trate de ensino primário, secundário ou superior.

 Para aclarar um pouco mais esse aprendizado, menciona-se algumas coisas que uma pessoa não aprende na escola, mas que, no entanto, são importantes para a vida quotidiana e para o desenvolvimento da nossa personalidade:

– Saber como definir o nosso objetivo básico na vida.
– Assegurar as condições de satisfação no trabalho.
– Cultivar aspectos positivos de caráter.
– Saber como estudar racionalmente.
– Praticar a persistência e a força de vontade, e saber como organizar o trabalho.
– Adquirir bons hábitos em todas as esferas da vida.
– Cuidar bem da saúde,  da aparência, da aptidão física  e da alimentação.
– Lidar corretamente com as pessoas.
– Aprender a falar bem.
– Aprender a fazer alguns trabalhos manuais.
– Aprender a lidar com dinheiro.

 Todas as pessoas são diferentes no sentir, no agir, no olhar sobre a vida. Por isso, talvez, tenhamos diferentes oportunidades, de acordo com o interesse, a determinação, a educação, as condições de trabalho, o tempo disponível, o fato de viver na cidade ou no campo, numa grande ou pequena cidade, etc. Mas todas as pessoas podem contribuir para o desenvolvimento interior, uma tarefa constante para quem pretende melhorar a sua personalidade. Muita gente cresce, amadurece e não aprende. Outras aproveitam todas as oportunidades e se fazem grandiosas nos feitos, alcançam realizações, prestígio, reconhecimento pelo trabalho laboral e também como pessoa amiga que aprende a compartilhar a vida com outras.

 Isso significa que a esfera de auto desenvolvimento não se confina apenas aos jovens, aplica-se às pessoas de todas as idades. A auto-aprendizagem intencional ajuda uma pessoa a tornar-se um especialista, ajuda a pessoa a alcançar uma personalidade saudável, ajuda a pesssoa a viver melhor consigo e com os outros. Viver é bom. Definir-se com boa personalidade e ser notado assim produz conforto espiritual. Isso também se chama felicidade.

DICAS DE GRAMÁTICA

A TEMPERATURA CHEGOU A ZERO GRAUS ou A ZERO GRAU?

– Zero é sempre singular: zero grau, zero-quilômetro, zero hora. Zero pode ser posposto ao substantivo que determina, e aí seu sentido é outro: zero hora é “meia-noite”, mas hora zero é o “ponto de partida”, o momento a partir do qual se inicia uma contagem de horas.

FAZEM CINCO ANOS ou FAZ CINCO ANOS?- Fazer, quando exprime tempo, é impessoal. Então, diga: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias. HÁ DEZ ANOS ATRÁS ou HÁ DEZ ANOS?- Há e atrás indicam passado na frase. Então, diga: Há dez anos ou Dez anos atrás. 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation