Política local 25/02/2014

“A ciência tira a sabedoria das pessoas e costuma convertê-las em fantasmas carregados de conhecimento”.
(Miguel Unamuno, filósofo espanhol)

Tese com sentido
Ontem, conversei com um importante petista sobre a eleição. Defendeu uma tese polêmica, mas, com sentido. Acha que o PCdoB deve comandar a campanha da sua candidata a senadora e o PT a do Tião Viana. Atribuiu ao PT ter priorizado sua atenção à candidatura de Edvaldo Magalhães (PCdoB) ao Senado, o fato que quase derrotou Tião Viana. “Não pode repetir”, diz.

Prioridade máxima
Para o petista, a prioridade máxima da FPA e do PT é a reeleição do Tião Viana. “O PCdoB não insistiu em ter a vaga do Senado? Nada mais certo que coordene a sua campanha”, defende.

Alguém entende o Henrique?
A pergunta cabe. Começou com um bom discurso dizendo que seria candidato ao governo, depois que seria vice do Márcio Bittar (PSDB), foi rifado e anuncia agora que sairá ao governo.

Saída moral
Tem seus problemas, mas o Henrique Afonso (PV) é um político respeitável. Ficar pirangando vice, é terrível! Sua saída moral será ele disputar o governo e sustentar o seu discurso inicial.

Vice de zebra?
Em todas as pesquisas feitas até aqui Márcio Bittar (PSDB) não decolou. Sua candidatura é considerada uma zebra, então por que o Henrique ficar se humilhando para ser o seu vice?

Toques de ingenuidade
Henrique tem toques de ingenuidade. Não entendeu que era um estranho no ninho dos partidos tradicionais da oposição e que jamais  Márcio Bittar (PSDB) iria rifar o PMDB?

Em qual versão crer
Henrique Afonso é tão multifacetado politicamente que não sei mais em que versão sua acreditar. Começo a querer crer que ele acabará sendo missionário evangélico na África.

Conversa aberta
O presidente do PDT, deputado Luís Tchê, tem dito que vai abrir conversas com todos os candidatos a senadores, o que significa não ter compromisso com nenhum dos postulantes.

Tem o que oferecer
O PDT tem uma chapa muito boa de candidatos a deputados estaduais, sendo normal que antes de acoplar apoio a uma candidatura ao Senado, veja que espaço teria numa parceria.

Nome à disposição
O médico Carlos Beirute (PRP) disse à coluna que, se a reunião com Eduardo Campos, na próxima quinta, em São Paulo, for promissora, seu nome está à disposição do PV ao Senado.

Comunicação oficial
O governador Tião Viana já foi comunicado oficialmente pelo PRP dessa decisão.

Acata decisão
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, não quis entrar na polêmica da escolha do vice do Márcio Bittar (PMDB), para ele, o que o partido decidir ele vai acatar sem contestação.

Mas pondera
Mas, pondera que se o PMDB não tiver candidato a governador tem de indicar o vice.

Resolução rápida
O senador Petecão (PSD) e Tião Bocalom (DEM) conversaram no domingo último, longamente, e acertaram que, a decisão de quem sairá candidato ao governo será logo após o Carnaval.

Sentada com o PMN
Bocalom foi ontem para São Paulo para um encontro com a direção nacional do PMN, e com isso afastar rumores de que o PMN quer vetar a candidatura de Roberto Duarte ao Senado.

Prejudicial aos candidatos
Petecão decidiu acabar as dúvidas entre PSD e DEM, o que para ele, prejudica os candidatos a deputado estadual e federal, que estão pressionando para que a chapa seja logo anunciada.

Anuncia tudo
“Logo depois do Carnaval eu e o Tião Bocalom vamos encerrar essa novela”, promete Petecão.

Reunião marcada
Na próxima sexta-feira haverá ainda uma conversa decisiva entre o deputado federal Henrique Afonso (PV) e Sérgio Petecão. “Vou ouvir com carinho o que o Henrique tem a dizer”, afirma.

Bloco do bafo
Os dirigentes dos partidos nanicos poderiam formar neste Carnaval o “bloco do bafo”. Fizeram o maior protesto e na reunião de ontem ficaram murchos e aceitaram o pastor Davi Santiago.

Cara de Maria Madalena
Quando é para marcarem posição se calam, e depois ficam com cara de Maria Madalena arrependida pelos cantos. O único partido nanico que tem posição é o PDT do Luís Tchê.

Conversa avançada
PSDC e PCdoB avançam para uma aliança na chapa para a Assembléia Legislativa. A conversa de ontem foi com o deputado Moisés Diniz (PCdoB), que ficou de levar o assunto à direção.

Posição oficial
A posição foi tirada numa reunião oficial do PSDC: sem coligação para estadual com o PCdoB, o partido não apoiará a candidata comunista ao Senado. Tá bom seu Zé, só depois que eu ver.

Na política ninguém força ninguém
O grupo do candidato ao governo Márcio Bittar (PSDB) tem tentado por todos os meios, em Brasília, torpedear junto à direção nacional do PMN a candidatura do advogado Roberto Duarte (PMN) ao Senado. É o tipo de ação que não vai lhe render nenhum benefício político, ao contrário, rende reação. O candidato ao governo, Tião Bocalom (DEM), viajou para tentar desfazer o despacho. Em política, o Bittar não aprendeu, não se soma dividindo, é antagônico.  

Assuntos desta notícia


Join the Conversation