Política local 26/02/2014

“Ás vezes subimos ao inferno; há gelo. Ás vezes descemos ao céu; há chamas”.
(Silvina Ocampo, escritora argentina)

Terra de ninguém
O reduto do candidato a senador Gladson Cameli (PP) é o  Juruá. O da candidata do PCdoB ao Senado é a Capital. Só que é mais difícil a comunista crescer nos municípios do Juruá, onde Cameli é forte, que ele crescer em Rio Branco, por dois aspectos políticos simples. O Juruá é um colégio eleitoral mais fechado em torno dele. E os votos da Capital são terra de ninguém.

Nomes definidos
Pastor Davi Santiago (PSB) será o primeiro suplente da candidata a senadora do PCdoB. E o juiz de Direito aposentado, Pedro Longo (PSL), o segundo suplente, o martelo foi batido e pronto.

Vantagem embola
No momento em que o deputado federal Gladson Cameli (PP) colocar a sua campanha na rua, na Capital, a vantagem da candidata do PCdoB diluiu e ele divide a votação com toda a certeza.

Politicagem barata
O deputado Jamil Asfury (PEN) apresentou ontem um projeto populista, em causa própria e inconstitucional: que as obras inauguradas levem o nome da liderança comunitárias do bairro.

Não lhe acrescenta nada
Pela boa qualificação do Jamil, este tipo de projeto eleitoreiro não acrescenta nada ao seu bom currículo. E ademais, a Constituição Federal proíbe nomes de pessoas vivas em obras.

Esqueça, Coelho!
Leio que o professor Coelho parou uma reunião da FPA para propor que convençam o senador Aníbal Diniz (PT) lhe dar quatro meses de mandato. Esqueça, Coelho, é mais fácil você ir à lua.

Não há clima
O senador Aníbal Diniz (PT) demitiu os petistas do seu gabinete que não apoiaram a sua reeleição, iria agora atender um pedido dos dirigentes da FPA, que também lhe detonaram?

Ficou na FPA
O deputado Luís Tchê (PDT) descartou ontem levar seu partido para a Oposição. “Vamos continuar na FPA”, garantiu à coluna. Luís Tchê deverá ser candidato a deputado federal.

Nada de relevante
O governador Tião Viana vetou ontem dez projetos aprovados na Assembléia Legislativa. Fui esmiuçar e não consegui encontrar um desses projetos com alguma relevância para o Acre.

Maré negativa
O prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino (PR), precisa combinar com a natureza suas decisões. Foi anunciar que não teria carnaval devido a cheia e os rios baixaram 2 metros.

Nova pancada
Vem a caminho uma leva de condenação de mais 30 funcionários fantasmas da prefeitura de Sena Madureira, que irão se juntar ao primeiro lote dos condenados na primeira sentença.

Tome como parâmetro
O ex-prefeito de Tarauacá, Vando Torquato (PP), sofreu na Justiça mais uma condenação pecuniária milionária. O prefeito atual, Rodrigo Damasceno (PT), tome como exemplo.

Cacife forte
O Deda (PROS) está no que se chama em política de “buiado”. Num acerto milionário tirou o primeiro suplente de vereador, Jonas Bandeira (PSB), do apoio à candidata Leila Galvão (PT).

Veto vermelho
O nome do ex-prefeito Deda (PROS) chegou ser ventilado para primeiro suplente da candidata  ao Senado da FPA, mas não conseguiu apoio de ninguém, as cartas estavam marcadas.

Chapa da morte
Chapa da morte da FPA a deputado federal: Angelim, César Messias, Léo Brito, Sibá Machado, Alan Rick, Luís Tchê, Mâncio Cordeiro, Moisés Diniz, Raimundo Vaz, Idésio Frank, entre outros.

Fora da disputa
A ex-deputada federal Regina Lino (PTB) não deverá ser mais candidata à Câmara Federal. Uma pena, Regina é uma mulher extraordinária e acrescentaria muito como representante do Acre.

Apoio fechado
O senador Petecão (PSD) e Tião Bocalom (DEM) não se definiram na aliança para o governo, mas se acertaram num ponto: ambos apoiarão o candidato ao Senado, Roberto Duarte (PMN).

Que coisa feia!
Emissários do Márcio Bittar (PSDB) tentam a todo custo tirar a candidatura do advogado Roberto Duarte, fazendo gestões na direção nacional do PMN. Depois falam em unidade.

Caminho do arquivamento
O despacho do juiz federal Jair Facundes, liberando os acusados do G-7 para todas as atividades empresariais por falta de provas, indica que o caso caminha para arquivamento.

Como é que fica?
E saindo o arquivamento, como é que ficam empresários sérios como o Carlos Sassai e os demais, que foram presos e enxovalhados na opinião pública?- Nada reparará o que sofreram.

Atraso de dois meses
Fora o prejuízo moral das obras da “Cidade do Povo”, que por conta do caso atrasaram em mais de dois meses a sua conclusão, deixando milhares de pes-soas à espera da casa própria.

Sem falar
E sem falar na exploração política que se tentou fazer em cima do governador Tião Viana.

Aliança vermelho cristã
Fechada a aliança PSDC-PCdoB para a Assembléia Legislativa. Na melhor das hipóteses elege três deputados. Fora isso é devaneio de febre de malária. Nomes mais fortes às vagas: Eber Machado (PSDC), Edvaldo Sousa (PSDC), Eduardo Farias (PCdoB), Artêmio Costa (PSDC), Fernando Martins (PCdoB), Washington Aquino (PCdoB) e Chagas Batista (PCdoB). O restante é contrapeso. A aliança só saiu por o PSDC ameaçar não apoiar a candidata do PCdoB ao Senado

Assuntos desta notícia


Join the Conversation