Política nacional 11/02/2014

“A morte do cinegrafista Santiago Andrade revolta e entristece”.
Presidenta Dilma Rousseff, sobre o assassinato do jornalista por ativistas black blocs.

Lula trabalha para ser o candidato presidente
Alguns ministros que saíram dos cargos há dias e dirigentes do PT têm em comum a certeza de que Lula trabalha para assumir a candidatura presidencial, em substituição a Dilma Rousseff. Sua intervenção para impor ministros, como Aloizio Mercadante (Casa Civil), e fazer seu grupo assumir o controle da comunicação do governo fazem parte da estratégia. A única dúvida é se tudo foi combinado com a presidenta.

Estratégia
Deixar a barba crescer, retomando feições originais, e bater boca com a oposição, a pretexto de “poupar Dilma”, são parte do plano de Lula.

Descartável
Lula tem ignorado o PMDB, em suas articulações nos Estados, porque sua ideia é tornar esse partido mero coadjuvante, como PR, PP, PSD…

Vice de sonho
Segundo petistas influentes, Lula deve articular a própria candidatura a presidente contando com o amigo Eduardo Campos (PSB) como vice.

Tudo se encaixa
Parece até um jogo combinado: Eduardo Campos tem dito que jamais enfrentaria Lula nas urnas. Isso o credencia e garante a vaga de vice.

PT e PMDB negociam apoio a Pimentel
Apesar do fogo cruzado do PMDB com a presidenta Dilma, na briga por ministérios, o PT de Minas Gerais negocia com o partido de Michel Temer o fechamento de apoio à candidatura de Fernando Pimentel a governador. Para selar esse acordo, Lula vai na sexta-feira (14), a BH, para o lançamento das caravanas do PT no Estado, enquanto o PMDB afunila as negociações para disputar a vice de Pimentel e ao Senado.

Chapa
O ministro peemedebista Antônio Andrade (Agricultura) e o senador Clésio Andrade são os mais cotados para formar chapa com Pimentel.

Ministro efetivo
O ministro Gilmar Mendes tomará posse nesta quinta-feira (13), pela segunda vez, como ministro efetivo do Tribunal Superior Eleitoral.

Isto é Brasil
No dia do aniversário de 34 anos do PT a tag #CorruPTusday ficou em primeiro lugar ontem nos assuntos mais comentados do Twitter.

Que país é este?
Com a morte de Santiago Andrade, os terroristas do “black bloc” atingiram o objetivo: afastar a população dos protestos. Mas acertaram no que não viram: a péssima repercussão mundial para a Copa.

Banditismo
Ainda está livre o assassino principal de Santiago Andrade, cinegrafista da Band. O outro criminoso finge que não é com ele. E ainda dizem que “não era a intenção” do black bloc bandido. À família resta chorar.

Candidato de mim
Tanto PMDB quanto o PSDB e o PR acreditam que a candidatura do senador Lindbergh Faria (PT) ao governo do Rio é só blefe. Isolado por aliados nacionais, o petista negocia ao menos o apoio do PCdoB.

Alforria
Com semblante muito tranquilo, a ex-ministra Helena Chagas (Comunicação Social) se dedicava ontem a algo que não fazia há anos: ver vitrines em um shopping de Brasília. Sem pressa, nem aflição.

Chapa fechada
José Roberto Arruda (PR) vai disputar o governo do DF. Terá como vice Liliane Roriz, filha do cacique Joaquim, e o senador Gim Argello (PTB) candidato à reeleição. Terá de chegar ao registro da candidatura, em junho, sem condenação em órgão colegiado. Ou ficará inelegível.

Cobrança abusiva
O Banco do Brasil em Miami resolveu cobrar taxa mensal, considerada abusiva, de cada conta de servidores do Itamaraty no exterior, onde há décadas são depositados seus salários. A tunga provocou revolta.

A fila anda
Se foi ironia, lascou-se. Se foi sincero, é forte candidato ao troféu Pinóquio o ex-governador mineiro Eduardo Azeredo, com a frase “sou tão inocente quanto Lula”, após ser acusado no mensalão mineiro.

Fio errado
No Iraque, ontem, terroristas atrapalhados explodiram um carro-bomba antes da hora e morreram. O mundo fica melhor sem eles. Fez lembrar o “acidente de trabalho” no Riocentro, em abril de 1981.

Pensando bem…
…depois da queima de arquivo do falecido prefeito petista Celso Daniel, nova assombração atormenta o PT: outro Celso (Pizzolato) morto.

PODER SEM PUDOR
Dentes sacrificados
No governo do general Ernesto Geisel, o ministro Mário Henrique Simonsen levou o assessor Ary Pinto para uma reunião, em Nova York, com o ministro da Fazenda do Irã. Ary pediu uísque, irritando o iraniano, porque o islamismo proíbe bebida alcoólica. Tempos depois, o mesmo Ary foi portador do acordo negociado naquela ocasião, para ser assinado. O iraniano o recebeu com crescente má vontade, até que, chamou o brasileiro de “desgraçado”. Ary fumava seu cachimbo, para manter-se calmo. Mas, ofendido, cravou os dentes no cachimbo com muita força. Exagerou: ao retirá-lo da boca, sua dentadura veio junto.

Claudio Humberto com Ana Paula Leitão e Teresa Barros
E-mail: [email protected]
www.claudiohumberto.com.br

Assuntos desta notícia

Join the Conversation