Política nacional 18/02/2014

“Se o STF achar que tem culpa, é porque tem culpa”.
Ex-presidente FHC, dizendo acreditar na isenção
do STF no caso do mensalão mineiro.

Como o PSB, o PDT ofereceu filiação a Barbosa
S ob holofotes e surfando na popularidade, após condenar mensaleiros à prisão, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, foi sondado para disputar a Presidência da República ou vaga ao Senado pelo PDT do Rio de Janeiro. O PSB também lhe ofereceu filiação. O dono do PDT, Carlos Lupi, envolvido em acusações de corrupção, considera Cristovam Buar-que (DF) “plano B” na disputa pelo Planalto.

Olho na urna
Em nota, Joaquim Barbosa reiterou que não é candidato a presidente este ano, e confirmou que deixará o STF bem antes da data-limite.

Data marcada
Barbosa disse a amigos, como esta coluna revelou, que não ficaria “um só dia no STF” após a posse de Ricardo Lewandowski na presidência.

Todos contra uma
Cristovam Buarque voltou a se encantar com eventual candidatura a presidente, com apoio de pedetistas que não aguentam mais Dilma. 

Projeto político
No almoço em homenagem ao presidente francês, que visitava Brasília, Barbosa segredou o desejo de fazer carreira política no Rio de Janeiro.

Simulador reduz 4 vezes os acidentes com jovens
O uso do simulador por jovens motoristas reduz em até quatro vezes os acidentes graves nos primeiros 12 meses, após obter a habilitação, segundo estudo do Injury Prevention & Control, do CDC, departamento norte-americano de prevenção. Implantado no Brasil pelo Conselho Nacional de Trânsito, o simulador poderá ser vencido pelo lobby, nesta quarta, e enterrado por um projeto na Câmara dos Deputados.

Salvando vidas
Em países como Alemanha, Espanha, França e Suíça, a adoção dos simuladores fez cair à metade as infrações e acidentes.

É mais barato
Autoescolas preferem continuar como estão: ensinando truques para obtenção de habilitação de motorista, em vez de ensinar a dirigir.

Ora, a segurança
Diz-se que a habilitação fica 30% mais cara, com o simulador, como se reclamava do cinto de segurança pelo “repasse” do seu custo ao carro.

Óleo de Peroba
Se o Eduardo Campos (PSB) ainda aguarda eventual acordo para ser vice de Lula em outubro, é bom ele contar isso ao aliado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). O senador desancou ontem a presidenta Dilma, recomendando a ela o uso continuado de óleo de peroba.

Enchendo o tanque
A Petrobras anda contando os tostões, mas nada que a impeça de patrocinar a equipe Williams de Fórmula 1, agora com Felipe Massa como primeiro piloto. O patrocínio será anunciado nesta terça, no Rio.

Bomba-relógio
Para o senador José Agripino (DEM-RN), Dilma vai agravar o déficit no setor elétrico (R$ 8,7 bilhões só na Eletrobras), para segurar a tarifa de energia elétrica em ano eleitoral, e a bomba-relógio vai explodir no colo de quem for presidente da República em 2015. A coisa está feia.

Estratégia
Apesar das investidas de Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB), o PV está decidido a lançar Eduardo Jorge à Presidência, a fim de facilitar alianças nos estados e a eleição de deputados federais.
 
Apostas do PV
O PV lançará nesta quarta (19) o deputado estadual Marcelo Lelis ao governo de Tocantins. A sigla conta hoje com nove pré-candidatos, entre eles Rosane Pereira (PR), a quem Marina Silva prometeu apoio.

Biometria
Exposto pelo mensaleiro Henrique Pizzolato, que votou em 2008 com o título do irmão já falecido, o sistema eleitoral se tornará mais seguro com a biometria, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Até 2018, ninguém poderá fazer como Pizzolato, votando duas vezes.

Cospe no prato
Eleita ao Senado com ajuda do governador Jacques Wagner (PT-BA), a pré-candidata ao governo Lídice da Mata (PSB) virou alvo de críticas pelos ataques à gestão do PT, da qual ela fez parte até pouco tempo.

Articulação
Candidato ao governo de Mato Grosso, o senador Pedro Taques (PDT) costura para conseguir apoio do senador Blairo Maggi (PR): “Estamos namorando a possiblidade e conversando institucionalmente”, afirmou.

Pensando bem…
…é estranha a insistência de Genoino por prisão domiciliar: como a companheirada do mensalão, na Papuda ele se sentiria em casa.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation