Mudança e coerência

Pesquisas de opinião chamam atenção pelos números da corrida eleitoral, mas é possível obter informações muito interessantes perscrutando mesmo as pesquisas quantitativas, focadas mais na estatística que na motivação das opiniões, como as chamadas qualitativas.

Pesquisa Datafolha publicada pela Folha de São Paulo, mostra que hoje a presidenta Dilma recebe intenções de voto suficientes para ser reeleita já no primeiro turno. Isso chama a atenção de todos. Mas nem sempre são notadas informações tão valiosas que levam a própria Folha de São Paulo, sempre mau humorada em relação ao Governo, a presidenta Dilma, a Lula e ao PT, fazer a seguinte afirmação: “Brasileiro quer mudança, mas com petistas” (FSP 23/02/2014 Página A8 poder).

O desejo de mudança é uma tendência indicada por 67% dos entrevistados. O Datafolha também perguntou “Quem está mais preparado para fazer mudanças no Brasil?” e o ex-presidente Lula “foi apontado por 28% como o melhor agente para promover mudanças no Brasil”. Em segundo lugar vem a presidente Dilma, com 19%. Só depois aparecem os oposicionistas Joaquim Barbosa (14%), Marina Silva (11%), Aécio Neves (10%) e Eduardo Campos (5%).

Mas o que o que motiva esses números?

Primeiro, na minha modestíssima opinião, os brasileiros reconhecem Dilma e Lula os mais preparados para fazer mudanças porque eles já fizeram muitas mudanças no Brasil e na vida das pessoas.

Segundo, porque Dilma, Lula e o PT representam um projeto de país que garante sequência nessas mudanças.

Finalmente, sem um projeto alternativo ao Governo do PT, a oposição fala de “mudança” com a tônica da “troca” de ocupantes de cargos públicos. Quem pensa assim, só pensa nos cargos. Além disso, de tanto falar mal do governo, a oposição até parece torcer contra o país.

Os brasileiros pedem mudança com sentimento de inovação, reinvenção, evolução. E coerência! – pois “é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo”, já ensinava dom Hélder Câmara.

E para os acreanos, o sentimento é o mesmo. Enquanto os “sem projeto” da oposição brigam entre si por cargos em disputa, a Frente Popular se une e o governador Tião Viana cada vez mais se mostra o mais preparado para  fazer as novas mudanças que o Acre precisa.

* Gilberto Braga de Mello é jornalista e publicitário.
E-mail: [email protected]

Assuntos desta notícia


Join the Conversation