Pular para o conteúdo

Governo Federal vai mandar 110 toneladas de alimentos para abastecer o Acre, anuncia Tião Viana

O governador Tião Viana mais uma vez tranquilizou a população acreana em relação ao isolamento do Estado causado pela cheia do Rio Madeira. Tião Viana informou À GAZETA que a presidenta Dilma Rousseff lhe ligou na manhã de ontem (22) bastante preocupada com a situação local. O governador conversou com ela sobre como o Estado estava lidando com os problemas do fechamento da via terrestre de acesso ao Acre e pediu ajuda do Governo Federal.

Tião Viana disse que a presidenta Dilma se comprometeu a enviar 110 toneladas de alimentos perecíveis e produtos hortifrutigranjeiros (que seria o tipo de alimentos que poderia faltar logo, caso a estrada continue em condições ruins), através de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Uma providência que ajudará o Acre a ampliar o seu estoque de alimentos e se manter por mais tempo, até que o Rio Madeira comece a baixar e a conjuntura atual da BR-364 melhore. 

A carga dos alimentos já está vindo para Rio Branco. Ela embarca de um avião em Porto Velho.

O governador também revelou que o Acre tem, hoje, uma reserva de alimentos que dá para suprir todo o Estado por cerca de 30 dias. Já de combustível, o Acre tem em estoque o suficiente para abastecer os veículos locais por mais 20 dias. “Portanto, a nossa situação atual é tranquila. A população pode ficar sossegada que está tudo sob controle. Temos o apoio total da presidenta Dilma e sei que vamos aguentar bem até tudo voltar ao normal”, disse. 

O governador conta que também apontou para a presidenta Dilma Rousseff algumas dificuldades de trafegabilidade pela BR-364, e que agora estão causando um grande transtorno à população. Questões de acessibilidade e integração terrestres com Rondônia. Tião disse que a presidenta lhe ouviu atentamente e assegurou que o Acre poderá contar com o apoio do Governo Federal para superar estes entraves na estrada. Medidas emergenciais deverão ser tomadas após este período de cheia do Rio Madeira.

Partes da estrada estão submersos e, por isso, estão sendo liberados e interditados de acordo com a oscilação no Rio Madeira. Os principais trajetos são: os distritos de Jaci-Paraná, Nova Mutum e Vista Alegre do Abunã.