Rio Acre supera os 15 metros e número de desabrigados não para de aumentar

O Rio Acre superou os 15 metros ainda na tarde desta quarta-feira, 19. A cheia já atinge oito bairros: Adalberto Aragão, Airton Sena, Baixada do Habitasa, Base, Cadeia Velha, Seis de Agosto, Taquari e Triangulo Novo. O número de abrigados no Parque de Exposições subiu para 112 famílias, totalizando 421 pessoas.

Para as famílias abrigadas no Parque de Exposições, estão sendo disponibilizados os serviços de saúde com uma unidade de atendimento médico e farmacêutico montada no local. Além disso, um trailer da Polícia Militar também funciona 24 horas no parque.

Segundo informações da Defesa Civil Municipal o Rio Acre continua recebendo águas oriundas dos municípios de Assis Brasil, Brasiléia e Xapuri. A Defesa Civil Municipal alerta para os riscos nas áreas alagadas, principalmente pela presença de animais peçonhentos e choques causados em virtude da fiação escondida pelas águas.

De acordo com site O Tempo Aqui, a previsão do tempo para Rio Branco até o final de semana é de muita chuva a qualquer hora, principalmente, à tarde. Podendo chover forte, em alguns pontos.

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Gundim, destacou que todas as equipes continuam mobilizadas, o telefone para pedido de socorro é 193.

Cheia do Madeira prejudica abastecimento de asfalto em Rio Branco
A cheia do Rio Madeira, em Rondônia, ameaça seriamente os serviços de asfaltamento e manutenção viária em Rio Branco.  O estoque de CAP (cimento asfáltico de petróleo), matéria-prima das operações tapa-buraco e asfaltamento de ruas, só é suficiente para realizar os serviços de até sábado, 22. A Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (Emurb) está seriamente preocupada com a situação, já que as empresas fornecedoras não estão conseguindo realizar a entrega de 700 toneladas de CAP encomendadas pela Prefeitura. Assim a programação de manutenção viária e asfaltamento de ruas sofrerá sérios atrasos.

O nível do Rio Madeira vem subindo 18 centímetros ao dia na última semana, segundo a Defesa Civil de Rondônia. A Emurb lembra que o abastecimento de CAP está irregular desde o início deste mês de fevereiro e se agravou nos últimos dias porque os fornecedores de Betim, em Minas Gerais, e Manaus, no Amazonas, encontram dificuldades operacionais no transporte fluvial, por conta da dificuldade de funcionamento do porto de Porto Velho e por causa do alagamento na BR-364. A rodovia está há três dias coberta pela água do Madeira no trecho próximo à vila Mutum-Paraná.

Mesmo com capacidade reduzida por conta do drástico racionamento do CAP, os serviços não pararam ao longo da semana. As equipes fazem o tapa-buraco com piçarra e imprimação usando CM 30 (asfalto diluído de petróleo) e cobrem com areia. O serviço permite o uso da via por veículos e tão logo o abastecimento de CAP esteja normal, a Emurb aplica o asfalto para garantir a durabilidade do serviço.

A preocupação da Emurb se baseia na previsão de mais chuva para a região nos próximos dias. Entre Acre e Rondônia choverá forte até o dia 15 de março, de acordo com os serviços de meteorologia.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation