Pular para o conteúdo

Deputado Moisés Diniz afirma ser possível aposentar mais 2 mil Soldados da Borracha

MOISES-DINIZZO deputado Moisés Diniz (PCdoB) reconheceu o empenho do senador Aníbal Diniz (PT/AC) ao propor a aprovação imediata da Proposta de Emenda à Constituição que trata sobre a equiparação do salário dos Soldados da Borracha aos vencimentos dos pracinhas da 2ª Guerra Mundial.

O parlamentar enalteceu a luta de Aníbal e da deputada Perpétua Almeida (PCdoB/AC) e disse que os parlamentares acreanos devem-se somar a essa luta. Moisés Diniz lembrou ainda a luta do ex-senador Aloísio Bezerra em defesa de milhares de nordestinos que compareceram ao chamado do governo brasileiro para participarem do Esforço de Guerra.

Ainda de acordo com ele, pelo menos 2 mil nordestinos que chegaram ao Acre entre 1942 a 1945, período da Segunda Guerra Mundial, não conseguiram aposentadorias e vivem com apenas um salário mínimo disponibilizado pelo INSS. O deputado comunista acredita que o Acre ainda pode aposentar esse contingente por meio de familiares de seringalistas que detém os livros onde ficavam todos os apontamentos de cada seringueiro.

“Pelo menos 2 mil seringueiros não conseguiram se aposentar e estão amargando. Esses seringalistas tem os livros e com esses documentos teremos a perspectiva de aposentar 2 mil seringueiros que vivem de apenas um salário do INSS”.

O deputado conclamou que a Aleac coloque sua assessoria em campo e ajude a localizar as famílias de seringalistas para que essa documentação seja levantada. Segundo ele, a intenção é garantir uma maior qualidade de vida a milhares de senhores que hoje, já tem mais de 80 anos de vida.

O deputado Jamil Asfury (PEN) também manifestou apoio ao pronunciamento de Diniz e acrescentou que essa busca é também resgatar a história do Acre. Ressaltou, ainda, que a aposentadoria de 2 mil seringueiros é estender o reconhecimento a uma classe tão esquecida.