Pular para o conteúdo

Gazetinhas 06/03/2014

* Perguntinha que não pode calar: quem era o condutor que foi flagrado bêbado e que motivou a crise institucional entre as polícias?

* A imagem é forte demais: 50 policiais invadindo delegacia para resgatar colega de farda… hummm…

* O Acre já viu filme parecido com esse, não foi não, leitor?

* O “Ovo da Serpente” dessa história não cheira bem.

* Por isso, é preciso todo o equilíbrio e seriedade na condução das investigações.

* E parece até que na ausência de ocorrências num Carnaval tranquilo, a própria polícia resolveu montar o seu barraco de horrores.

* Em tempo: cadê as ONG’s e instituições vinculadas aos direitos humanos que não se pronunciaram sobre o caso.

* Têm alguns silêncios que não se compreende, não é?

* Me lembro bem que testemunhei episódio muito parecido, no 2º DP, no início dos anos 2000, quando uma guarnição inteira da PM foi levada para cela comum.

* Foram grampeados ali mesmo, diante dos repórteres e dos policiais civis, sob ordens de um oficial-médico da própria corporação.

* Naquela noite, os praças foram acusados de ter agredido o filho de uma procuradora do Ministério Público, durante uma festa no pátio do Bar 14 Bis.

* O menino também era parente do oficial em questão.

* A guarnição que levou o garoto até a delegacia foi a mesma que ficou lá, atrás das grades.

* Coincidência ou não, depois desse episódio, logo foi criada a Coordenadoria do Controle Externo da Atividade Policial, dentro do MP.

* Deputado Walter Prado disse que imbróglio deste sábado, 1º, poderia ter acabado em tragédia.

* A hipótese levantada pelo parlamentar é justificada porque ambas as partes quiseram mais sacar as suas armas do que as canetas.

* Faltou bom-senso! E agora é inevitável dizer que ficou uma ranhura entre as duas instituições.  

* Só uma apuração rigorosa, com punição para quem errou, amenizará os ânimos.

* Saiba mais sobre o que fará o Ministério Público e a Jutiça, a partir de agora, em texto assinado por Itaan Arruda, na página 5.

* E na BR-364, a novidade é o desvio de pouco mais de 9 quilômetros até a Vila Abunã, livrando o tráfego de caminhões até Rio Branco, retidos em Porto Velho por causa da cheias do Rio Madeira.

* Confira reportagem de Brenna Amâncio sobre o assunto na página 7.

* A nova trilha causa um atraso de pelo menos 3 horas até a outra margem do atracadouro.

*  Porém, é o que há até que as águas do Rio Madeira, em 18,83m, voltem a baixar.

* Em Rio Branco, a preocupação voltou com a notícia de que o Rio Acre deve, já, já, ultrapassar a cota de transbordamento.

* É que muitos dos atingidos já voltaram para suas casas. Agora,  poderão ter que sair, novamente, para abrigos da Defesa Civil.

* Eita pau pereira.

* Interino: Resley Saab.