Gazetinhas 20/03/2014

* Não falta mais nada.

* Agora, até o avião desaparecido na Malásia foi encontrado na BR-364!

* As imagens “impressionantes” (!) também já circulam nos grupos de zap zap.

* O povo não perdoa.

* É cada uma!

* Humor negro à parte, o Rio Madeira não para de subir.

* Ontem, já ultrapassava a marca de 19,20m. E as previsões são de que o problema persistirá, pelo menos, até o próximo mês.

* Equipes do governo e empresários se reúnem todos os dias, no “gabinete de crise”, em busca de novas soluções.

* Estão temerosos com o que virá pela frente.

* Alguns setores, como o automobilístico, já amargam prejuízos seríssimos.

* E que, óbvio, não prejudicará somente os empresários.

* Com estoque baixíssimo de carros, os vendedores, cuja maior parte do salário vem das comissões, vão chegar, ao final do mês, com o pagamento bem comprometido.

* Os reflexos devem ser sentidos no comércio, nos crediários…

* Enfim, é o efeito dominó na economia local.

* Passando pela redação, o “comitê de crise” da OCA, para buscar mais informações sobre as notinhas publicadas, ontem, na coluninha.

* Secretária Flora Valadares, a diretora da OCA, Sídia Gomes, o gerente Anderson e a assessora Daniele.

* Apresentaram as políticas e metodologias de aperfeiçoamento dos serviços para manter, na medida do possível, o melhor padrão de atendimento ao cidadão.

* Um trabalho amplo, democrático, humanizado. Bacana de conhecer.

*  Aqui do lado da “clientela”, é natural que tenhamos uma visão diferente, mais crítica ou impaciente do desempenho das atividades.

* Por isso, é bom saber também sobre os desafios que estão por trás de uma estrutura tão dinâmica e abrangente, como a oferecida ali.

* O fato é que a OCA atende hoje o dobro de pessoas do planejado na inauguração.

* São 10 mil pessoas/mês.

* E, claro, com o crescimento da demanda, crescem também os problemas e as cobranças da população.

* “Estão todos mais exigentes”, diz a diretora. E isso é muito bom!

* “A informação é nossa maior aliada”.

* E conclama os usuários a reclamarem mais, quando não estiverem satisfeitos, e a elogiarem também, para que se dê continuidade ao que está dando certo.

* À leitora que fez a reclamação, Sídia responde: “Não é correto mesmo ter que pegar duas fichas! Não faz parte do nosso procedimento”.

* E garantiu que medidas serão tomadas para que o caso não se repita.

* Toca o telefone. É o seu Lunga de novo pra dizer aos “mal informados” que o preço do tomate em São Paulo está mais caro do que no Acre.

*  “Não entendo essa agora de querer comer tomate todo dia!”

* Tá bom, seu Lunga, tá bom…

* Maíra Martinello.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation