Política local 13/03/2014

“A política tem sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano”.
(Voltaire)

“Pura especulação!”
A deputada estadual Antônia Sales (PMDB) negou que tenha mantido conversa com a cúpula peemedebista para viabilizar seu nome a ser vice de Márcio Bittar (PSDB/AC). Ela disse que se sentiu surpresa com a informação e que não há nenhuma possibilidade de ser vice-governadora.

Partindo dela
Conversei pessoalmente com a parlamentar que negou a hipótese de ser vice do deputado federal, Márcio Bittar. Segundo ela isso não passa de ‘pura especulação’. “Eu me sinto lisonjeada e surpresa com essa informação. Isso não procede”.

Dia D
Antônia Sales disse que o dia 27 de março, o bloco formado por Vagner Sales (PMDB), Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (PSDB) anunciará qual dos três será o candidato ao Governo do Estado.

Três mandatos
Ainda sobre ser vice, ela disparou: “sou dona de três mandatos dado pelo povo do Juruá e se eu fosse ser vice, primeiro eu iria consultar esse povo que me garantiu esses mandatos. Não seria uma decisão minha”.

Dinheiro sim, Dilma não.
O deputado Walter Prado, sempre muito irônico, disse que a presidenta Dilma Rousseff não precisa vir ao Acre e nem receber título de cidadã acreana. Disse que ela precisa apenas mandar recursos para o Acre. “Ela precisa mandar muito dinheiro não precisa ela vir”.

O mesmo feijão com arroz
O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) toda vez que vai a tribuna é o mesmo jabá. Não vende outro. Para ele, o Acre é um verdadeiro caos. Confesso que as coisas não são lá as mil maravilhas, mas que nem tudo está perdido.

Mais votado
Deputado Edvaldo Souza (PSDC) pode ser um dos mais votados nessas eleições de 2014. Bem articulado, o parlamentar espera ficar entre os primeiros colocados nessa eleição. Não faz muito tempo ouvi em uma roda de deputados: “o Edvaldo cumpre o que diz”.

Cresceu muito
Politicamente falando um dos deputados que cresceu muito foi o deputado Jonas Lima (PT). Antes tímido, hoje tem boa relação com os demais colegas e com a imprensa. Sem dúvidas é o destaque dessa legislatura.

Não foi legal
Deputado Henrique Afonso (PV/AC) precisa pensar um pouco. Que é da política fazer alianças é normal, mas ser instável é suicídio político. Tem um ditado que diz: “quem muito pula finda se espatifando no chão”.

Colocando numa fria
Lembro que a presidente do PV, professora Shirley Torres, não era muito adepta a sair da Frente Popular. Até quis resistir, depois cedeu entendendo que Henrique encontraria abrigo no ninho tucano ou alçaria voo próprio, mas nem uma coisa nem outra, resta o vexame de voltar pra FPA.

Falcão na parada
A vinda do presidente nacional do PT, Rui Falcão, ao Acre, ontem, tem o objetivo de fortalecer o nome de Dilma Rousseff no Estado. É certo que o Acre não é nenhum colégio eleitoral decisivo, mas eleger Dilma, no Acre, é questão de honra dos petistas que estão no poder.

Gratidão
Em uma reunião meses atrás, o senador Jorge Viana (PT/AC) disse que a eleição da presidenta era questão de gratidão de tudo que ela fez pelo Acre. Então, tá!

Não entendo
Não entendo o porquê de muitos deputados estaduais não criticarem autoridades locais e preferem se referirem a temas nacionais e até internacionais na tribuna da Casa. Criticam Evo Morales, Eike Batista, mas e os daqui?

Muito riso!
Muito riso ontem entre os jornalistas que cobrem a Aleac quando o deputado Walter Prado (PROS) disse que foi à feira para verificar o preço dos produtos da cesta básica. Os mais afoitos diziam: “desde quando o Walter vai ao supermercado?”.

Até o padre!
Depois dos deputados estrebucharem quanto ao aumento de produtos da cesta básica e outros, até o padre Massimo Lombardi resolveu se pronunciar. Disse que os que fazem tal prática são como “raposas e chacais”.

Pecado!
“Neste tempo de solidariedade, os aproveitadores desagradam a Deus, atrasam o progresso do bem e se tornam uma vergonha para a sociedade”, dispara o padre.

Não satanizem!
Os empresários acreanos também não podem ser satanizados por reajustarem alguns preços. O Procon e o Ministério Público com  certeza estarão atentos para qualquer abuso. É claro que não há como negar que nem tudo está vindo com fartura, ou seja, em larga escala.

Gratidão
Agradeço ao jornalista Luís Carlos Moreira Jorge, por acreditar no meu potencial. Procurarei fazer o melhor. Como diz sempre o bom Luís Carlos: “sou jornalista, não sou assessor de imprensa”, portanto, não me peça pra passar a mão na cabeça de ninguém.

Assunto sério
As enchentes do Rio Madeira é um assunto que deve ser levado em consideração e que não pode ficar alheio aos olhos da República. Não se trata da alagação em si, mas do pós-alagação. É necessário que mais do que nunca, nossa bancada federal viabilize em Brasília uma análise rigorosa dos impactos que essas hidrelétricas podem ter trazido ao ecossistema da região. Não podemos ficar reféns de especulações.

*INTERINO: José Pinheiro

Assuntos desta notícia


Join the Conversation