Política local 01/04/2013

“Podemos deter-nos quando subimos, não quando descemos”.
 (Napoleão Bonaparte)

Cabo-de-guerra
Os dirigentes do PMDB vão pressionar o deputado federal Gladson Cameli (PP) para que destitua o dirigente do PP, José Bestene, das negociações para a montagem da chapa para a Câmara Federal. Bestene é contra a coligação com o PSDB-PSC-PMDB e pela chapa própria. E Bestene já ameaça com uma desistência em massa dos candidatos a federal do PP, se ocorrer.

Chapinha dos rebelados
Bestene vai tentar antes de levar até o fim a tese da chapa própria para deputado federal, uma aliança com o PR e PPS, formando assim a “chapinha dos rebelados” para Câmara Federal.

Razões distintas
Os dois grupos têm razões distintas. PMDB-PSC-PSDB sabem que sem o PP terão legenda para fazer só dois federais. E o PP, que se entrar na coligação, não elegerá ninguém do seu partido.

Tese fortalecida
A tese do ex-deputado José Bestene é a mais simpática entre os candidatos do PP a federal. Eles sabem que na aliança com PMDB-PSC-PSDB vão só gastar dinheiro, tempo e não ganham.

Plano fracassado
Havia um plano de desgaste na mídia da imagem do governador Tião Viana, montada pela oposição, em cima da crise da cheia do Madeira. Só não foi em frente porque Tião se sai bem.

“Sairá fortalecido”
A revelação foi feita ontem por importante dirigente da oposição em conversa na Aleac. Acha que, além de não sair desgastado como se esperava, Tião Viana sairá por cima ao final da crise.

“Ruptura total”
Perguntei ontem a um aliado de Tião Bocalom (DEM) como será, na campanha, a disputa de votos com Márcio Bittar (PSDB): “de ruptura total, para governador só existe uma vaga”.

Bobagem emblemática
Uma bobagem que se tornou emblemática, em toda campanha: “pacto de não agressão”. Se há uma falácia que não irá funcionar entre Tião Bocalom (DEM) e Márcio Bittar (PSDB), é esta.

Passou há muito
As relações conflitantes entre Tião Bocalom (DEM) e Márcio Bittar (PSDB) passaram há muito tempo do campo político para o pessoal, ambos, simplesmente, não se suportam.

Abacaxi longe
Não conheço um deputado da base do governo que considere a anunciada compra de bicicletas elétricas para se doar na área rural, como algo positivo, ao contrário, negativo.

Gênero, número e grau
Acham que pela fragilidade dessas bicicletas, em no máximo 60 dias a zona rural se transformará num cemitério de bicicletas, e bandeira para a oposição na campanha.

Só escutando
Estava ontem na fila do Banco do Brasil, mas de olho numa conversa em que o personagem central era o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre. E todos eles, só elogios à sua gestão.

“Não terá para ninguém”
E com o prognóstico que, se ele disputar a reeleição, em 2016, “não terá para ninguém”.

Campanha organizada
O deputado Élson Santiago (PEN) está com a sua campanha para a reeleição com uma forte base eleitoral, em Cruzeiro do Sul. Conseguiu apoio da nata do empresariado cruzeirense.

Como poucos
Sou do ramo e conheço. São poucos os políticos que conseguem montar uma estrutura azeitada para funcionar na campanha e, principalmente, na reta decisiva dos últimos 15 dias.

Nenhuma agressão
O candidato ao Senado, Roberto Duarte (PMN), diz que o que mais tem lhe dado força na sua campanha é o fato de até agora não ter recebido uma agressão na rua, só apoio e incentivo.

Dois compromissos
O Dr. Raiz diz estar um pouco longe de política. “Só vou apoiar o Tião Viana para governador e a candidata do PCdoB a senadora. Fora isso, eu não tenho compromisso com ninguém”.

Simpatia da mulher
Aproveitou o breve papo para elogiar a escolha de Nazaré Araú-jo (PT) para vice de Tião Viana: “além de ser uma bela mulher, é cativante, educada e trata a todos com humildade”.

Aliado do cramulhão
A mais famosa quadrilha junina de Sena Madureira, que leva o nome de “Farofa do Capeta” tem como um dos patrocinadores o candidato a deputado, pastor evangélico, Edson Cameli.

Capeta multimídia
É um “capeta” multimídia, este de Sena, conseguiu um sincretismo até com os evangélicos. Por isso ninguém se admire se na apresentação da quadrilha, ai invés de anarrié, se grite aleluia!

Duas preocupações
Há duas preocupações do comando da campanha de Tião Viana: os prefeitos de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PT) e o de Sena Madureira (PR), Mano Rufino. Ambos, um desastre.

Providências legais
Esse sumiço de 400 mil reais dos cofres da prefeitura de Brasiléia, dificilmente, teve uma só autoria, impossível a secretária de Saúde não saber. O prefeito Everaldo está isento no caso.

Situação de penúria
Uma montanha de dívida, com tendência de afundar mais. Assim está a gestão do prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho. E os vereadores do PT se preparando para denunciar no MPF.

Uma pena
Pena que a gestão do Betinho esteja afundando, lutou muito para chegar aonde chegou.

Cidadãos comuns
Secretário José Reis, dos Pequenos Negócios, Lourival Marques, da Agricultura, e Daniel Zen, da Educação, daqui algumas horas deixarão os cargos para disputar vagas de deputado estadual e passarão a ser novamente cidadãos comuns. Nada é mais efêmero que o poder. Fora dos cargos terão que disputar com os deputados estaduais, sem as mordomias atuais. Se as serventes de suas secretarias, no próximo encontro, servirem café frio, não se admirem.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation