Política local 09/04/2014

“Os detalhes são perigosos quando se está mentindo”.
(Grahan Greene)

Vamos deixar de politicagem
A melhor proposta para os soldados da borracha era a pensão de pouco mais de 7 mil reais para a categoria, de autoria do senador Aníbal Diniz (PT). Mas, morreu por não ter apoio do Governo Federal. A pensão de 2 salários mínimos e os 25 mil reais de abono foi o exeqüível. A oposição precisa deixar de politicagem com os velhinhos ao prometer que vai rever os valores.

Força de um mosquito
Se os parlamentares federais da oposição tivessem a força que alardeiam para os velhinhos, teriam conseguido a aprovação da proposta do senador Aníbal Diniz (PT), chega de enganação.

PCdoB consciente
O deputado Eduardo Farias (PCdoB) comentava ontem que uma vaga da coligação PCdoB-PTB é do deputado Chico Viga (PTB). E que para ter a outra vaga terá que ser o primeiro do PCdoB.

Ninguém faria melhor
Ontem, numa roda da oposição o papo era a cheia do Rio Madeira. E todos reconhecendo que, ninguém faria mais do que já fez até aqui o governador Tião Viana, se desdobrando desde o início.

Opinião das andanças
Na avaliação do deputado Walter Prado (PROS), num segundo turno para o governo, quem enfrentará Tião Viana será Tião Bocalom (DEM). “É bem mais povão que o Márcio Bittar”, diz.

Diferença básica
Para Prado há uma diferença básica entre os candidatos ao governo pela oposição: “o Márcio Bittar penetra mais nas elites, já o eleitorado do Bocalom é o povão, tenho visto isso nas ruas”.

Matemática difícil
Como a aliança DEM-PV-PMN terá chapa de deputado federal, o atrapalho para a chapa da coligação do PSDB será grande. É improvável que a coligação do PSDB eleja mais de dois.

Venhamos e convenhamos
E elegendo dois deputados federais, dificilmente, uma vaga não será de Flaviano Melo (PMDB) e a outra vaga não fique com Márcia Bittar (PSDB), em que o marido Márcio jogará pesado.

Não vejo alternativa
O PSDC não tem uma chapa com nomes para eleger dois deputados estaduais. Não vejo outro caminho aos deputados Eber Machado (PSDC) e Edvaldo Sousa (PSDC), que não seja o chapão.

Será um suicídio
Se a direção do PSDC insistir em chapa própria ou vai degolar o mandato do deputado Edvaldo Sousa (PSDC) ou do deputado Eber Machado (PSDC). E aí esqueçam eleger dois deputados.

Um agravante
E qual é o candidato que vai querer entrar numa chapa que tem os deputados Eber Machado, Edvaldo Sousa e o vereador Artêmio Costa, sabendo que vai entrar para perder a eleição?

Chapa mais redonda
Quem conseguiu montar a chapa mais redonda de todos os partidos nanicos é o PDT. Mas, também só conseguiu isso porque não tem um deputado entre os seus integrantes.

Núcleo duro
Leonardo Brito (PT) é o candidato do chamado “núcleo duro do PT”, comandado pelo Nepomuceno Carioca (PT). O grupo petista tem como questão de honra elegê-lo.

Fora de cogitação
Depois da briga pela escolha do candidato ao Senado, é certo que o senador Aníbal Diniz (PT) não apoiará a candidatura de Leonardo Brito, devendo fazer a opção por Sibá Machado (PT).

Votos fictícios
Quem escuta o ex-superintendente do Incra, Idésio Frank (PT), pelo seu relato otimista, sai com a sensação que ele terá todos os votos a deputado federal de Brasiléia e Epitaciolândia.

Todo mundo amarrado
Na eleição os candidatos a deputado federal ficarão todos amarrados para deixar o Idésio Frank pedir votos no Vale do Acre? Conta agora aquela piada do papagaio, caro Idésio.

Na FPA não difere
Não são só os prefeitos da oposição que estão mal avaliados nas pesquisas. Mano Rufino (Sena Madureira), Rodrigo Damasceno (Tarauacá) e Merla (Feijó) estão com os índices baixíssimos.

Trabalha para dois
O PSB trabalha para eleger dois deputados estaduais. Manoel Moraes, Juracy Nogueira, professor Roger e o vereador Marcelo Jucá estão entre os seus nomes mais fortes.

Conquista a ser explorada
A secretária de Saúde, Suely Melo, era para ter ocupado todos os espaços nos programas de entrevistas para falar do primeiro transplante de fígado no Acre, uma conquista do governo.

Rodou a baiana é um perigo
O ex-prefeito de Sena Madureira, Nílson Areal, vai disputar uma vaga de deputado estadual no chapão do PT. É um candidato perigoso. Depois que o Nílson roda a baiana, saiam da frente.

Cosmo e Damião
Raimundo Angelim (PT) para deputado federal e Geraldo Pereira (PT) serão o Cosmo e o Damião desta campanha, onde atuarão em simbiose. Angelim e Pereira são cunhados.

Perdeu um tempo
Vagner Sales está bem na prefeitura de Cruzeiro do Sul, não tivesse perdido um ano lutando para conseguir absolvição, num processo cruel, e no qual apenas ele foi apenado, estaria melhor.

Tocando na marra
Merece um capítulo à parte o esforço que os empresários com obras na “Cidade do Povo” estão fazendo para cumprir os seus cronogramas com a crise de desabastecimento pela qual passa o Acre, em que até o cimento tem de se importar do Peru. Não fosse o problema do G-7 (prestes a ter um desfecho favorável) e a cheia do Rio Madeira, as obras estariam mais avançadas. Mas, assim mesmo, com estes entraves, mais de mil casas já estão concluídas.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation