Política local 30/04/2014

“Embaixador é um homem honesto, enviado ao estrangeiro para mentir por seu país”.
(Sir Henry Wotton)

O rei da guilhotina
O ex-deputado José Bestene (PP) está com tudo e não está prosa. Poderia com muita propriedade ser chamado de “Zeca, o Rei da Guilhotina”, foi o mentor e articulador da trama na oposição, que decapitou a candidatura a deputada federal de Márcia Bittar (PSDB). Tudo para abrir o caminho e tentar eleger o sobrinho Alisson Bestene (PP) para a Câmara Federal.

Bastante certa
Se o Bestene vai conseguir eleger Alisson Bestene (PP) a deputado federal, isso é lá com o eleitor, mas, uma coisa parece bastante certa: sua ação tirou uma das vagas da oposição.

Completamente constrangido
Aliado próximo do Márcio Bittar (PSDB) me revelou ontem que ele está constrangido com o episódio, afinal, a candidatura da mulher Márcia Bittar era a cereja do bolo da sua campanha.

Deixa o parlamento
Conversei ontem com a deputada Antonia Sales (PMDB) e, praticamente, ela admitiu que deverá ser a vice na chapa do candidato Márcio Bittar (PSDB) ao governo, anunciará dia 20.

Perde a Aleac
A Assembléia Legislativa vai perder uma de suas melhores peças desta legislatura.

Canoa furada
Antonia Sales, por certo, seria a deputada mais votada da próxima eleição. Como vice, entra numa canoa furada, sem vasilha para tirar água, sem remo, num rio revolto, tende naufragar.

Sem empatia
A candidatura do deputado federal Márcio Bittar (PSDB) não conseguiu até aqui decolar.

É de lástima
A renúncia do prefeito de Manoel Urbano, Ale Anute, não vai acabar com a lástima da situação do município. Gere uma massa falida. E quem o suceder não fará melhor, só se for um mágico.

Saiu tranquilo
Deputados da oposição e até da FPA desengatilharam as armas após o inquérito policial inocentar o ex-secretário Louro no caso do sumiço do milho. Estavam prontos para atirar.

Peça de campanha
Tinha deputado pronto para usar uma condenação como peça de campanha contra ele.

Escolinha do Professor Rocha
Virou alvo de discussão braba o Projeto de Resolução do deputado Wherles Rocha (PSDB), logo apelidado de “Escolinha do Professor Rocha”, que exige chamada por nome antes da sessão.

Algo desnecessário
Até entendo a revolta do Rocha com a diminuição da presença de deputados no plenário, mas, acontece que o trabalho do deputado não se resume apenas aos debates nas sessões da Aleac.

Jogando na cara
A deputada Marileide Serafim (PSL) foi ontem dura e irônica com os deputados Moisés Diniz (PCdoB) e Luís Tchê (PDT): “eu já tenho minha cadeira de deputada federal, não sei vocês”.

Mensagem divina
Marileide, evangélica fervorosa, crê ter recebido a mensagem divina que se elegerá.

Sugestão na mesa
A direção do PEN se reuniu e fez um pedido ao governador Tião Viana: que o PSDC não entre no chapão do PT e monte uma chapa com outros partidos da FPA, desafogando a chapa.

Não era necessário
O deputado Edvaldo Sousa (PSDC) diz não ser necessária a preocupação, pois, segundo ele, o PSDC disputara as vagas para a Assembléia Legislativa numa coligação com o PPL.

Crê em Papai Noel
O dirigente do PSDC, Osmir Lima, defensor da aliança, acredita que a coligação fará dois deputados estaduais. E eu que pensei que só criancinhas acreditavam em Papai Noel.

Fica na FPA
O deputado Luís Tchê (PDT) me disse ontem que está tudo encaminhado para o PDT permanecer na FPA, mesmo com insistentes convites para levar o PDT para a oposição.

Ressalvas políticas
Tchê diz não ter problema em apoiar a candidatura da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) à senadora. “Mas, eu preciso antes ter uma conversa política com ela”, assinala.

Campanha franciscana
Aliados ligados ao candidato a deputado federal Mâncio Cordeiro (PT) ligaram para dizer que é boato de adversários que ele terá uma “campanha milionária” e que ela será “franciscana”.

Vai que é tua, Dudé!
Já que será na base de ajuda de amigos vai uma boa dica ao Mâncio Lima: contratar o Dudé para fazer as famosas “feijoadas do PT”, que num milagre, sempre rendiam 1 milhão de reais.

Contrariando a Bíblia
A Bíblia condena a usura. Daí não se entender o deputado e pastor Jamil Asfury (PEN) estar indo a cabos eleitorais de colegas oferecendo propostas altas. Não precisa disso para se eleger.

Muito reservado
O deputado Hélder Paiva (PEN) diz que disputará a reeleição, mas está muito reservado, nem parece que está na bica da campanha eleitoral. Por isso há quem crê que não será candidato.

Fontes financiadoras
Alguns famosos PCs de campanhas passadas da oposição serão monitorados nesta eleição.

Faca no pescoço
Já começam as reclamações contra o Carioca, que estaria “botando a faca no pescoço” em lideranças do PT do interior, para apoiar Léo Brito (PT) para deputado federal.

Não tem luz no fim do túnel
Alguns prefeitos já estão cortando na carne, reduzindo despesas com pessoal, diminuindo o número de cargos de confiança para manter a folha de pagamento das prefeituras em dias e deixar assim alguma reserva para investimentos. Vai vir uma ou outra emenda parlamentar, mas, isso não significa alguma luz no fim do túnel. Até porque a prefeitura precisa desembolsar a contrapartida financeira para realizar obras com o valor das emendas. O tempo é de crise.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation