PERFIL: ANNY COSTA

Anny: da anorexia à obesidade. Extremos que ficaram no passado
Anny: da anorexia à obesidade. Extremos que ficaram no passado

Meu primeiro contato com a Anny não foi lá muito agradável. Deitadas lado a lado, em macas nada confortáveis, amargando algumas agulhadas lipolíticas ou coisa que o valha, numa clínica de estética. Ela virou-se pra mim e me perguntou algo sobre o Geração Gazeta, ao que eu naturalmente, respondi. Ela então, espontânea e sincera que é, resolveu desabafar sobre uma suposta antipatia em relação a mim, que em determinado dia, adentrei algum ambiente e não a cumprimentei. “Nossa! Uma pessoa pública! Que feio!” .

Eu, sentindo o peso da culpa de uma falha cometida involuntariamente, absorvi a crítica e continuamos a conversar e nos encontrar, repetidas vezes, na mesma ocasião. Fato é que passei a observá-la em sua constante evolução, marcada por dificuldades e muita persistência.

No depoimento que escreveu a meu pedido, Anny conta em detalhes as poucas e boas que já passou na vida. Aos 12 anos, quando começou a se preocupar com a estética, Anny começou a saga de erros: fez dieta da lua, do sol, dos pontos, das cores, da proteína, do abacaxi com frango! “Nesta época não me alimentava regularmente, pulava refeição ou comia até a barriga doer”, diz. De encontro à vontade da família, casou-se aos 17 e foi mãe aos 18. Num cenário pouco favorável e em meio a problemas de saúde mal diagnosticados, teve depressão pós-parto. “Foi aí então que começou minha verdadeira guerra contra a balança”.

Algum tempo depois, precisou abrir mão da vesícula e do direito de amamentar o filho, por conta dos remédios, num ingrato pós operatório. “Aí o bicho pegou: passei a comer com toda minha angústia, medo, dúvidas, tristeza, ansie-dade. Pães, massas, doces, refrigerantes, cervejas, enlatados, embutidos, carnes, sanduíches”. Resultado: engordou 24 kg em 6 meses!

Entre projetos frustrados, uma redução de estômago e cursos universitários abandonados, continuava a comer e engordar. Passou a evitar fotos, sair de casa, se olhar no espelho. E aí: mais depressão. Só que dessa vez, mais grave! A comida, de aliada, passou a sua pior inimiga. A ANOREXIA tomou o lugar da compulsão. Psicólogos, remédios controlados e alguns ml de silicone para melhorar a autoestima. Mais um filho. Um breve período de redenção…. e, quando se deu conta, estava obesa novamente. “O alerta tocou dentro de mim e fiquei apavorada!”

Anny aprendeu, a duras penas, que não existem milagres e, sinergicamente, seus esforços (devidamente orientados) resultaram em 20 kg eliminados. “Resolvi fazer diferente: mudei de verdade. Impus-me um projeto e foquei nele. De coração. Com fé. Mudei hábitos alimentares e voltei a me exercitar. Chorava com vontade de comer errado, mas não comia. Ia malhar aborrecida, mas ia. Era o compromisso com a pessoa mais importante da minha vida: EU MESMA! Hoje, depois dos traumas, fiz as pazes com a balança e com a vida. Aprendi que, por mais difícil que pareça, somos capazes de superar, surpreender e recomeçar. Para sermos mais saudáveis, dispostos e belos. Para vivermos mais. Para sermos mais FELIZES!”.

DIVA é ela!
Hoje, quando me encontra, ela grita logo: “Super Divaaaa!!!” e acho que aquela primeira antipatia ficou lá atrás, onde tudo de ruim tem que ficar. DIVA é ela! Anny irradia felicidade e inspira superação! Tem um carisma sem igual e a experiência dela fala por si. Que fique a melhor lição. Se ela pode, você também. Uma salva de palmas, porque ela merece!

Um beijo grande e até a próxima semana.
May.

Anny, hoje!
Anny, hoje!

selfieNA REDE
Selfie
O auto-retrato que virou moda, inclusive nos espelhos das academias, vai muito além de um narcisismo bobo. Talvez seja uma das melhores  formas (inconsciente até) de enxergar em si mesmo, uma excelente fonte de inspiração. Uma via dupla de cooperação: você e sua imagem/sua imagem e você. Uma orgulhosa satisfação em ver-se e sentir-se cada vez melhor, atingindo seus objetivos aos poucos, vencendo uma batalha de cada vez. Depois de “um dia daqueles”, ver refletida a imagem de alguém que não se deixa desanimar é (no mínimo) motivador!  #sejoganaselfie


NA REDE 2

Blogueiras
As blogueiras mais “TOP’S” e badaladas do país, musas inspiradoras adeptas ao Helathy Life Style, Gabriela Pugliesi e Carol Buffara, lançam seus tão aguardados livros. Raio X e Projeto Carol Buffara – o livro, respectivamente. No contexto de uma per-formance fantástica nas redes sociais, as duas são reconhecidas pelos milhares de seguidores que influenciam, na busca por saúde e qualidade de vida. A expectativa é grande! Você já pode adquirir seus exemplares, nos sites: www.nagnag.com.br e www.reptileditora.com.br
buffara pugliese

VOCÊ SABIA?
Por que comer integrais?
Os alimentos integrais fazem parte da família dos carboidratos complexos, popularmente conhecidos com “carboidratos do bem”. Quando consumidos, são lentamente absorvidos pelo organismo e transformados em energia, que vai sendo gasta conforme vai sendo liberada. Em outras palavras, você gasta energia (calorias) à medida que a produz. Já os carboidratos brancos ou refinados (arroz branco, açúcar branco, farinha de trigo branca) são submetidos a exaustivos processos de industrialização e “purificação”, perdendo grande parte dos seus nutrientes, minerais e fibras. A consequência disso é que, ao serem ingeridos, são absorvidos imediatamente pelo organismo, e se a energia obtida não for “gasta” na mesma velocidade, é armazenada em forma de gordura! Que horror, não é? Pois é. Tente incluir alimentos integrais na sua lista de preferências alimentares. Além de auxiliar na digestão, as fibras provocam mais saciedade, “matando a fome” por mais tempo!

Assuntos desta notícia