Gazetinhas 31/10/2014

* Devagar, devagarinho…

* É esse o ritmo da nossa Assembleia Legislativa, neste pós-eleição.

* Aliás, segundo dizem as boas línguas, desde o término do primeiro turno…

* Ôpa, como bem lembrou outro leitor aqui, desde o início da campanha política.

* Égua!

* Será que nossos nobres deputados resolveram tirar o ano de férias coletivas?

* Não é à toa que a maioria não retornará ao plenário na próxima legislatura…

* Mas, enfim…

* Por enquanto, o que interessa é que, neste ano, continuam sendo pagos – e muitos bem pagos, diga-se de passagem – para exercerem suas atividades ali.

* E, ao que consta, o corpo mole é quase generalizado.

* Alguns nem se dão mais ao trabalho de aparecer.

* Outros, da turma dos derrotados, já dizem à boca miúda que não votarão a favor do Orçamento, em retaliação, segundo eles, à falta de apoio do governo, durante a campanha.

* Aquela velha ciumeira dos secretários candidatos, que teriam sido beneficiados com a ajuda do governador e da máquina do Estado.

* E, com a eleição dos principais deles, como Lourival Marques e Daniel Zen, parece que o caldo entornou de vez.

* Tá na hora de o gigante acordar de novo…

* Nem que seja pra dar uma voltinha, fazer algumas necessidades e voltar pra toca, como fez da outra vez.

* Em ritmo oposto anda o senador Jorge Viana, que, das últimas semanas pra cá, anda tagarelando mais do que a preta do leite.

* No bom sentido, é claro, senador.

* Ririri.

* Depois de participar ativamente da campanha para reeleição do irmão Tião Viana, Jorge tem tomado à frente em discursos sobre reconciliação, união e humildade entre políticos e partidos, para resgatar a credibilidade do povo na política do país.

* Um tom de diálogo acertado, considerando o susto que o PT acreano e o nacional levaram com o resultado apertado das urnas.

* Mais do que a credibilidade da política em si, o ex-governador destaca a importância do entendimento entre situação e oposição para garantir a retomada do crescimento econômico…

* Assunto que, de fato, deveria interessar a todos.

* Assim como nos demais estados brasileiros, o crescimento da violência é um dos principais desafios a ser enfrentado pelo governo estadual.

* E o município de Sena Madureira precisa de uma atenção especial da cúpula de Segurança, tendo em vista os crimes bárbaros e crescentes registrados por lá, nos últimos anos.

* Na redação, quando chega uma manchete policial mais chocante já se imagina logo de onde é…

* Não que a Capital seja mil maravilhas…

* Mas é notório que aquela região merece um estudo e um cuidado mais aprofundado.

* A de ontem foi a morte de um servidor público, motorista de ambulância, assassinado com cinco tiros e encontrado num ramal.

* Socorro!

Assuntos desta notícia