Servidores da Suframa realizam paralisação

Servidores em momento de manifestação ontem
Servidores em momento de manifestação ontem

Os servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) no Acre paralisaram as atividades na manhã desta quarta-feira, 22, para chamar a atenção do governo em relação às reivindicações da classe que, segundo o representante do Sindicato dos Funcionários da Suframa (Sindframa), Renato Santos, não foram atendidas.

Dentre as reivindicações da categoria, estão a reestruturação dos salários e a deficiência na infraestrutura dos prédios da autarquia. No Acre, a Suframa possui 23 funcionários.

“O governo sinalizou que ia atender as nossas reivindicações, no entanto, não atendeu praticamente nenhuma. O acordo que nós fizemos vence no dia 4 de novembro. A última reunião do grupo de trabalho foi adiada sem data para uma nova agenda. Como eles descumpriram, é possível que a gente deflagre uma greve a partir da segunda quinzena de novembro”, adiantou Santos.

Segundo o sindicalista, houve uma reunião, realizada no dia 17 de outubro, onde foram discutidas ações diante do descumprimento da maioria dos acordos. Dos três termos assinados, apenas a compensação entre os meses de abril e outubro, pelos servidores, das horas não trabalhadas durante o período da paralisação foi cumprida.

Neste ano, a categoria deflagrou greve no dia 19 de fevereiro, passando 45 dias em greve. Ao anunciar, o fim da grave no dia 7 de abril, o representante do Sindicato dos Funcionários da Suframa (Sindframa), Renato Suza, alegou o saldo foi positivo.

Além do Acre, a paralisação dos serviços ocorre em todos os estados a Amazônia Ocidental: Amazonas (AM), Rondônia (RO), Roraima (RR) e os municípios de Macapá e Santana, no Amapá (AP). (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Assuntos desta notícia