Após reeleição, Tião Viana reafirma que dará continuidade ao desenvolvimento do Acre

Em entrevista, Tião falou sobre o futuro da sua gestão
Em entrevista, Tião falou sobre o futuro da sua gestão

Com 196.509 votos válidos, o que equivale a 51,29% do eleitorado do Acre, o governador Tião Viana (PT) foi reeleito no último domingo, 26, no segundo turno das eleições 2014. Ele derrotou o candidato da oposição, Marcio Bittar (PSDB), que obteve 186.685 votos, representando 48,72% do eleitorado.

A diferença de votos entre o governador reeleito e o oponente tucano foi de 9.851 (2,58%). O candidato da Frente Popular do Acre (FPA) venceu em 13 dos 22 municípios do Estado.

Em entrevista à TV Acre, nesta segunda-feira, 27, o governador recém-eleito voltou a agradecer os votos obtidos e reafirmou o compromisso com o desenvolvimento do Estado e se comprometeu em entregar um novo Acre ao fim do mandato. “O Acre está se constituindo em pleno ambiente de prosperidade. Eu tenho certeza que em 2018 vamos entregar um novo Acre para as futuras gerações”, afirmou.

Quanto ao resultado da votação por município, o governador destacou a vitória em cidades como Rio Branco, Tarauacá, Feijó, Xapuri e Assis Brasil. “Conseguimos consolidar uma vitória maior, tanto em número de votos, quanto em municípios estratégicos”, frisou.

Em relação ao próximo mandato, ele vislumbra a possibilidade de levar os produtos locais, como o açaí e peixes, ao mercado do Pacífico. “Com o corredor rodoviário ligando o Brasil à costa oeste do Peru podemos concretizar e consolidar a comercialização dos nossos produtos locais em outros países”, pontuou.

De acordo com o governador, “isto é fruto direto da política de integração econômica da América do Sul liderada pelo projeto dos governos petistas”. Ele afirma que “essa perspectiva levará o desenvolvimento e renda com a manutenção da cobertura de floresta e não de pastagens. Isso porque o gado gera R$ 500 por hectare em um ano e o cultivo do açaí, R$ 21 mil”.

O governador planeja ainda quintuplicar a produção de peixe no Estado, especialmente o pirarucu (de 20 mil para 100 mil toneladas anuais), que rendem R$ 15 mil anuais por hectare. Floresta, portanto, é a melhor opção econômica.

Ele afirmou ainda que dará continuidade a programas estabelecidos nos primeiros quatro anos de mandato, como a construção de casas e pavimentação, manutenção e urbanização de rodovias, estradas, ramais, bem como o programa Ruas do Povo.

“Daremos continuidade aos projetos que já foram estabelecidos nesta primeira gestão. Iremos reforçar ainda a segurança em escolas públicas e policiamento comunitário. Para a geração de empregos, vamos investir na criação de postos de trabalho nos setores industriais, infraestrutura, desenvolvimento urbano e produção rural.

Ele finaliza reafirmando a manutenção e ampliação de saúde em vigilância, assistência farmacêutica, inclusão do ensino integral no estado, investimento na educação bilíngue, formação de docentes e do magistério para indígenas. (FOTO: Secom ACRE)

Tabela ok

Assuntos desta notícia