Nove partidos governarão o Brasil a partir de 2015

Tião Viana, do PT, foi reeleito para governar o Acre
Tião Viana, do PT, foi reeleito para governar o Acre

Nos próximos quatro anos, as 27 unidades federativas do Brasil serão governadas por integrantes de nove partidos diferentes. Este resultado mostra um acréscimo de três legendas, em comparação com as eleições de 2010, onde foram escolhidos os mesmos cargos deste ano.

Entre os partidos que haviam vencido eleições para governador em 2010, apenas PT e PMDB não sofreram redução no número de estados que comandam.

O PMDB foi o partido que mais conquistou vitórias na disputa pelo Governo do Estado. Ele subiu de cinco para sete estados: Alagoas, Espírito Santo, Sergipe e Tocantins, no primeiro turno, e Rio de Janeiro, Rondônia e Rio Grande do Sul nesta segunda etapa das eleições.

O PT se manteve a frente de cinco federações. No primeiro turno, haviam sido eleitos Fernando Pimentel (MG), Rui Costa (BA) e Wellington Dias (PI), enquanto que Camilo Santana (CE) e Tião Via-na (AC), este último reeleito, tiveram a vitória confirmada no segundo turno. Dois candidatos do PT à reeleição saíram derrotados do pleito: Tarso Genro (RS) e Agnelo Queiroz (DF).

O Partido da Social Democracia Brasileira e Partido Socialista Brasileiro foram os partidos que saíram mais derrotados nas eleições de 2014, levando em consideração as eleições de 2010.

O PSDB, que possuía o comando de oitos estados, conseguiu, nas eleições deste ano, manter-se a frente de apenas cinco. Foram reeleitos ainda no primeiro turno, Geraldo Alckmin (SP) e Beto Richa (PR) e no segundo turno, Simão Jatene (PA) e Marconi Perillo (GO). A única novidade tucana é Reinaldo Azambuja (MS).

O PSB foi o partido que teve mais candidaturas à reeleição frustradas: foram três, com Renato Casagrande (ES), Camilo Capiberibe (AP) e Chico Rodrigues (RR).

O partido caiu de seis governadores para três. Paulo Câmara (PE) confirmou sua vitória ainda no primeiro turno, enquanto Rodrigo Rollemberg (DF) e Ricardo Coutinho (PB), este último reeleito, tiveram a vitória confirmada apenas no segundo turno.

O partido Democratas, Partido da Frente Liberal e Partido da Mobilização Nacional perderam seus representantes estaduais nas eleições de 2014.

Cinco partidos que não tinham governadores em nenhum estado, elegeram seus candidatos em 2014. Em três casos, foi à primeira vez da legenda. O PCdoB, com mais de 90 anos de existência, nunca havia conquistado o cargo. O partido comandará o estado do Maranhão, com Flávio Dino.

Dois partidos criados depois das eleições de 2010 chegaram ao poder: o PSD elegeu Robinson Faria (RN) e reelegeu Raimundo Colombo (SC) – que era filiado ao DEM quando conquistou seu primeiro mandato. O PROS venceu com o reeleito José Melo (AM), que era vice-governador de Omar Aziz e assumiu o mandato em 2014.

O PDT fez dois governadores: Waldez Góes (AP) e Pedro Taques (MT). Já o PP é o responsável pela única mulher eleita governadora em 2014: Suely Campos (RR). (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Assuntos desta notícia