Política local 01/02/2015

“A caricatura é um testemunho da democracia”.
(Tignous, caricaturista morto no jornal Charles Hebdo)

Maior abandonado
O deputado federal Alan Rick (PRB) tem todas as qualidades  para ser um bom parlamentar. Mas, tem de deixar a pose de  maior abandonado. Diz que está sendo perseguido na FPA. Por que alguém iria lhe perseguir? Que coisa sem nexo! O que o Alan, que também é jornalista, tem de entender é que quem assume um mandato político não é imune a comentários.

Teoria da conspiração
Entre ser alvo de comentários políticos e estar sendo perseguido é uma teoria da conspiração fictícia. O Alan Rick tem de se acostumar que no mandato não é mais baladeira, mas vidraça.

Pedra cantada e confirmada
Enquanto outros colegas do colunismo político davam como certo que o deputado Nicolau Junior (PP) seria o segundo secretário da Aleac, disse aqui que não seria jamais, e não vai ser.

Jogo político
Não é que o Nicolau Junior não tenha qualidades, mas que seu partido é oposição e minoria.

Nem um pouco
As principais lideranças da oposição não se manifestaram de público, mas nos bastidores chovem críticas aos deputados da oposição que foram ao café da manhã do Tião Viana.

Marcar território
Acham que os deputados da oposição que foram ao ato deveriam não ter ido e marcado território, num claro recado de que foram eleitos para serem oposicionistas ao governo.

Umbilicalmente ligado
O sucesso do líder do governo, deputado Daniel Zen (PT), está umbilicalmente ligado às rápidas informações que os secretários passarão para rebater os ataques da oposição.

Sincronia fina
A sincronia entre a liderança do governo é os secretários tem de ser fina. No auge dos debates o líder do governo também tem de ter a ajuda da bancada da FPA ou vira monocórdio e se queima.

Sigla queimada
Depois da eleição, em que os seus cinco deputados foram derrotados, o PEN virou uma sigla queimada, nada atrativa, um sinônimo de derrota, por isso deve acontecer uma debandada.

Fora da política
O ex-deputado Astério Moreira (PEN) não quer nem ouvir falar em disputar a eleição para vereador como alguns colegas seus. “Quero paz e tranquilidade com a família”, disse ele.

Fora do PEN
Astério Moreira deverá na semana que entra se desfiliar do PEN, por não aceitar a missão de ir para as esquinas para coletar assinaturas para o dono do PEN fundar um novo partido.

Posse marcada
Prevista para a próxima terça-feira as posses de Jamyl Asfury na Secretaria de Habitação, Astério Moreira como subsecretário de Comunicação e Élson Santiago numa Assessoria Especial.

Nunca foi linear
É falso o argumento usado pelos prefeitos do interior que a queda do FPM quebrou as prefeituras. É incompetência. O FPM nunca foi linear, sempre oscilou de mês a mês.

Deixou de ser novidade
Com Edvaldo Magalhães (PCdoB) houve consenso na formação da mesa diretora da Aleac, se repetiu com Élson Santiago (PEN) e volta a se repetir agora com o presidente Ney Amorim (PT).

Mesma configuração
Repete-se a configuração da FPA ficar com os principais cargos da mesa diretora e a oposição minoritária com os cargos menos relevantes. Foi respeitada a chamada proporcionalidade.

Fica para o plenário
As diferenças partidárias ficam para ser tiradas nos debates na tribuna da Aleac.

Cálculo irreal
É bom alguns colegas refazer o cálculo. 75% dos deputados da legislatura que se findou não foram “varridos pelas urnas”. Conta errada. Nove deputados não disputaram a reeleição.

Nenhuma expectativa
Com 40 anos de jornalismo político já vi começarem e terminarem várias legislaturas. A que começa hoje não será diferente da que se encerrou. A “ânsia” fica para os colegas novos.

A hora e a vez dos nanicos
As nomeações dos dirigentes dos partidos nanicos devem acontecer a partir deste mês, acabando de vez com a revolta surda que acontece nos bastidores e nas redes sociais.

Nada mais justo
E nada mais justo que as nomeações aconteçam, sem os votos dos chamados nanicos, o PT não teria ganho a eleição para o governo. Quem duvidar é pegar a caneta e fazer as contas.

Adesões são importantes
Acho tolice quando estes partidos defendem que figuras importantes da oposição que aderiram ao PT não tenham espaço no governo. Um partido cresce com adesões e não com defecções.

Neto Ribeiro
É o caso do ex-candidato a deputado federal Neto Ribeiro, que era do PP. Neto será importante para o PT tentar ganhar a prefeitura de Senador Guiomard, onde foi bem votado.

Nunca foi forte
O PT nunca foi forte em Senador Guiomard. Sempre perdeu a disputa da prefeitura. Em 2016 será forte, com as adesões de oriundos da oposição: Solange Pascoal, Ney do Militão e Neto Ribeiro.

Conversa com o Agustinho
Na terça-feira publicaremos uma conversa com o pastor Agustinho.

Parlamento é debate
Começa hoje a nova legislatura da Assembléia Legislativa com a posse dos novos deputados e a eleição da mesa diretora. Não será uma eleição no sentido exato da palavra, houve consenso na distribuição dos cargos. Vamos ficar atento aos discursos da oposição e da base do governo. A sessão de hoje e a da próxima terça-feira, quando será lida a mensagem do governo, serão mais protocolares, cumprindo a liturgia. Os debates para valer (é o que interessa) começarão na sessão da quarta-feira, quando se iniciam as sessões ordinárias. Aí começará o jogo de verdade.

Assuntos desta notícia