Política local 24/02/2015

“Os cemitérios estão cheios de homens indispensáveis”.
(De Gaulle)

“Amargas como fel”
Sobre uma nota se referindo à vice-governadora Nazaré Araújo e às secretarias Floras Valadares e Márcia Regina como  sendo “doces”, recebi  e-mail e publico porque a coluna tem espaço aberto para o contraditório: “Luiz Carlos, não são doces coisa alguma, são amargas como fel nas relações com os demais secretários, doces é uma ova!”. Dadas as versões.

Doce de jiló
E completa o autor do e-mail: “só se elas forem doces de jiló (fruta amarga)”.

O mundo não acabou
A conversa de ontem entre o senador Gladson Cameli (PP) e o governador Tião Viana deve ser debitada exclusivamente a uma relação institucional, qualquer outra especulação é tosca.

Nada mais natural
E nada mais natural que o governador Tião Viana e o senador Gladson Cameli (PP) se reúnam para unir forças, resolver os problemas do Estado, inclusive, na ajuda aos alagados de Brasileia.

Cada um para seu lado
O senador Gladson Cameli (PP) continua sendo oposição (não aquela oposição raivosa e ranheta) e Tião Viana governador, as diferenças políticas ficam para o palanque eleitoral.

Nenhuma adesão
Não vislumbro neste encontro nenhum indício de adesão por parte do Gladson Cameli.

Posição elogiada
O desprendimento político do senador Gladson Cameli (PP) em procurar o governador Tião Viana foi elogiado até pelo senador Jorge Viana (PT), para quem não é hora de vaidades.

Dia dos e-mails
Outro e-mail: “Luiz Carlos, você tem razão em não dar espaço às ameaças de presidentes de partido nanicos, a maioria não tem onde cair morto e depende das migalhas da mesa do governo”.

E completando
“Quem é doido de crer que o José Afonso (PSDC) e o vereador Marcos (PRB) iam brigar com o PT? Brigar como, todos eles beneficiados com cargos do governo?”. Completou o e-mail.

A revolta dos anões
Constam que os empresários Getúlio e George Pinheiro, donos do Hotel Pinheiro, estão brabos com o cerimonial do governo, que só direciona as reuniões para o concorrente Holiday In.

Jararaca na bolsa
Amigo de Brasileia falava ontem que a deputada Leila Galvão (PT) se resume a fazer discursos longos e chatos para os alagados, mas não mete a mão na bolsa para ajudar uma família.

Ia morrer de fome
O ex-deputado Henrique Afonso fez uma previsão que Tião Bocalom (DEM) ganharia o governo no primeiro turno. Não chegou ao segundo. Agora prevê a ascensão da Marina Silva. Coitada!

Completamente acabada
O termo foi usado por um motorista para dizer como está o trecho entre Sena Madureira e o Rio Liberdade, na BR-364, tomado por verdadeiras crateras, se tornando quase intrafegável.

Há muito tempo
O Deracre não tem capacidade operacional para dar assistência aos problemas da rodovia 364 na direção de Cruzeiro do Sul, já deveria ter entregado há muito tempo para o DNIT.

Fazendo o que?
O senador Sérgio Petecão (PSD), que criticou os políticos que foram ver de perto a inundação em Brasileia é o mesmo que aparece numa lancha na alagação posando com óculos escuros.

Não é hora de aparecer
O caso de Brasileia é muito grave para o senador Sérgio Petecão (PSD) ficar politizando o problema, a política partidária deve ser deixada para 2016, que é ano de eleições.

Não vai sair deste redemoinho
Tudo já está a indicar que dentro da FPA, pela ordem, quem mais deve se destacar nos debates na Assembléia Legislativa deverá ser o deputado Daniel Zen (PT), seguido pelo deputado  Lourival Marques (PT).

Como o cramulhão gosta
A situação do país está como o cramulhão gosta, ontem, caminhoneiros bloqueavam as estradas em sete estados, em protesto contra o reajuste constante do combustível.

Vai dar cadeia
Este escândalo do Fundeb envolvendo empresários cruzeirenses vai dar cadeia.

Falando em escândalo
E como um escândalo puxa o outro, como anda mesmo a apuração da distribuição de cerca de 10 mil carteiras frias para falsos pescadores em troca de votos na última eleição?.

Vai problema
Ao prefeito Marcus Alexandre: uma depressão profunda na rua principal de acesso ao Jardim Tropical ainda vai causar um sério acidente automobilístico, é bom mandar recuperar.

Não tem como
Sabe a história do dá ou desce? Pois bem, não resta outra saí-da ao governador Tião Viana, a não ser cortar despesas, sob pena de tornar o Estado ingovernável, tal é a crise econômica.

Foi um engodo
Considero as manifestações populares contra a Dilma, marcadas para o dia 15 de março, completamente pertinentes e oportunas. É a insatisfação da massa com tanto arrocho. Ela enganou todo mundo na campanha com a história de que não aumentaria a gasolina, a energia elétrica e tampouco aumentaria impostos, “nem que a vaca tussa”. Subiu tudo. E vem mais aumento por aí. Basta você ir ao supermercado que sente no bolso. Tem que protestar mesmo. Chega um momento que a corda estoura. Não vai demorar e quem ganha um salário mínimo estará pagando Imposto de Renda. A situação chegou a um ponto que fica difícil se falar bem da presidente Dilma, que caminha a passos largos para o desastre no segundo mandato. Não é de se invejar nem um pouco a situação do deputado federal Sibá Machado (PT) como líder do partido na Câmara Federal. Falará para surdos, ninguém o escutará.

Assuntos desta notícia