Política local 26/02/2015

“Época triste a nossa, em que é mais difícil quebrar um preconceito do que um átomo”.
(Einstein)

Guinada popular
As primeiras ações do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ney Amorim (PT), no caso da alagação em Tarauacá e agora em Brasileia e Xapuri, de levar ações concretas como doações de alimentos ao invés de deixar os problemas restritos à tribuna do Legislativo, mostram que dará uma guinada mais popular na sua administração, saindo da mera retórica.

Não resolve
E até porque ficar sendo solidário na tribuna da Casa não vai resolver absolutamente nada.

Bem mais fraca
Não existe nem como comparar, com o deputado Wherles Rocha (PSDB), a oposição na Aleac era bem mais ativa. Ainda que, radical em determinados momentos, não teve um substituto.

Nada a declarar
O empresário George Pinheiro me ligou para dizer que não há nenhum descontentamento em relação ao governo, no tocante à preferência de hotéis de concorrentes. Ponto e registrado.

Bem mais grave
Amigo empresário que fez uma viagem de carro para Cruzeiro do Sul me disse ontem que o trecho entre Sena Madureira-Manoel Urbano parece um ramal com tantos buracos na pista.

Ficará intransitável
Na sua avaliação, se algo não for feito urgente, o referido trecho logo ficará intrafegável.

Não esperem grande coisa
Os prefeitos das áreas alagadas não esperem muita ajuda federal. Na alagação passada o prefeito Marcus Alexandre gastou 6 milhões da PMRB e recebeu pouco mais de 2 milhões.

Foi o que salvou
Não fosse a ajuda em parceria do governo Tião Viana a PMRB teria quebrado financeiramente.

Não convidem
Favor não convidar os antigos aliados e hoje desafetos, o ex-prefeito de Feijó, Francimar Fernandes (PT) e a ex-vereadora Jaciara (PT) para o mesmo tacacá, o clima deles é de guerra.

Derrota atribuída
O ex-prefeito Francimar Fernandes atribui a sua derrota a deputado estadual ao fato da ex-aliada Jaciara ter também sido candidata apenas para lhe atrapalhar politicamente.

Faltaram os votos
O que na verdade faltou ao ex-prefeito Francimar Fernandes foram votos e nada mais que isso.

Ideia a ser debatida
É uma situação muito complexa, mas deve ser discutida, esta ideia de remanejar a cidade de Brasileia para uma área não alagadiça, proposta pelo deputado Daniel Zen (PT).

Não pode perdurar
O que não pode continuar ocorrendo é todo o ano se repetir a tragédia da alagação de 90% da área urbana de Brasileia, seus moradores perderem tudo e o governo jogar dinheiro no ralo.

Café requentado
Depois que o assunto caducou e saiu do noticiário nacional é que o deputado federal Wherles Rocha (PSDB) resolve pedir explicações do ministro da Justiça por receber advogados do lava-jato.

É outra história
Uma coisa é o deputado Wherles Rocha (PSDB) ser destaque na Assembléia Legislativa do Acre e a outra é na Câmara Federal, onde não deve passar do baixo clero daquela Casa.

O que se espera
Depois de um longo trâmite na Justiça, o que se espera da coletiva do MP marcada para hoje, é que se diga como se dará e quando a devolução do dinheiro dos investidores do Telexfree.

Tem que divulgar
A ANP andou multando donos de postos de gasolina, segundo foi divulgado, por adulteração de combustível. Se verdadeiro, tem que se dar o nome do posto onde se deu a malandragem.

Bobagem política
Uma das asneiras políticas que costumo ouvir é que tem de se procurar o “novo” na política. E falam em “jovens”. O “novo” tem que ser em ideias inovadoras e não na idade do candidato.

Vide o cenário mundial
Basta dar uma olhada para o cenário político mundial para ver que as grandes lideranças são compostas por pessoas de idade avançada, então, este conceito de “novo” é uma balela.

Denunciar por denunciar
A deputada Eliane Sinhasique (PMDB) tem tudo para no futuro ser uma líder da oposição, mas precisa corrigir um erro que já ocorria na Câmara Municipal, o de denunciar sem checar nada.

Nova pisada
Ontem, deu nova pisada na maionese. Denunciou sem checar que o governador Tião Viana tinha faltado com a palavra e não anistiado o imposto de comerciantes de Brasileia na última cheia.

Dispensou sim
O deputado Daniel Zen (PT) a deixou sem graça: provou que houve a dispensa de imposto dos que tiveram perdas ou o comércio levados pela água de outubro de 2011 e fevereiro de 2012.

E bem mais
E o governo foi bem além, os impostos já pagos foram devolvidos em forma de crédito.

Necessitas caret leges
Se sustentando na expressão latina acima, que quer dizer: a necessidade não tem lei, a professora Luíza Galvão fez uma defesa passional em artigo na GAZETA de abrir as porteiras para médicos formados na Bolívia, sem qualquer controle. Critica também a dureza da prova de revalidação de diplomas. Discordo de tudo que disse. Não se pode criar liberalidade com a Saúde, são vidas que estarão em risco. Defende que às provas do “revalida” não devem ser duras. Devem ser duríssimas! Não se sabe como se dá a formação na Bolívia. Por isso tem que se testar o conhecimento dos formados no País, não se pode tratá-los como coitadinhos enjeitados. Quem tiver competência que passe e ganhe o CRM. Um País sem lei, vira esbórnia.

Assuntos desta notícia