Cúpula de segurança define plano para o Carnaval 2015

Para garantir a segurança dos foliões no Carnaval que começa na próxima sexta-feira, 13, a cúpula da Segurança Pública do Estado do Acre já traçou o planejamento estratégico de combate à criminalidade. As ações foram apresentadas em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, 10.

De acordo com o comandante do policiamento ostensivo de Rio Branco, Marcos Kinpara, a capital acreana contará com 37 pontos de aglomeração, ou seja, serão quase quarenta locais com festas, entre bairros e Centro de Rio Branco. Além disso, estão incluídas as festas das cidades de Sena Madureira, Porto Acre e Bujari, também atendidas pelo comando instalado em Rio Branco.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, o Carnaval ocorrendo de forma descentralizada, não tem grande aglomeração, evitando assim que muitas pessoas de bairros diferentes possam se encontrar e praticarem violência.

“Serão 1.250 homens trabalhando e atuando diariamente. Vamos ter, portanto, um Carnaval público-privado. Esperamos que os organizadores sejam parceiros. Teremos Carnaval em 37 pontos e esperamos que sejam 37 pontos tranquilos. Queremos estabelecer novas relações sociais, inclusive dentro da filosofia do policiamento comunitário, que é uma de nossas políticas de trabalho”, destacou o secretário.

Mesmo com essa operação de Carnaval, o policiamento nos demais locais não será prejudicado. “Para a realização desse esquema de segurança, por noite, irão trabalhar cerca de 250 policiais atendendo 37 pontos que farão o evento carnavalesco, com patrulhamento fixo dentro dos espaços de realização do evento e móvel distribuídos no entorno dessas áreas”, explicou Kinpara.

Sobre os horários

Para o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, um dos pontos mais conversados com os organizadores dos eventos foi a questão do horário, que neste ano é limitado. “Em relação ao horário das festas nos locais onde não tem a venda de ingresso, ou não são particulares, ficam até as 0h”, esclareceu.

Em relação às festas particulares, as regras são diferentes, pois existirá segurança própria.

Ações em parceria

Segundo a Sesp, órgãos como Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Militar (PM), Corpo de Bombeiros (CBMAC), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil (FGB), além da Polícia Civil, estarão juntas na organização dos trabalhos que serão desenvolvidos no período do Carnaval.

De acordo com o secretário adjunto de Polícia Civil, Alex Cavalcante, a Delegacia de Flagrantes (Defla) irá intensificar os trabalhos. “Iremos reforçar a central de flagrantes para que possamos recepcionar todas as ocorrências que por ventura venham ocorrer nesse período”, destacou.

O diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Gemil Júnior, garantiu manter as blitzes Álcool Zero atuando de forma integrada com todo o Sistema de Segurança.

Corpo de Bombeiros terá operação especial para o Carnaval

O Corpo de Bombeiros do Acre também organizou uma operação especial para manter um maior efetivo no carnaval comunitário “Tem Folia na Cidade”, na Capital. A corporação já tem definidas duas guarnições de trabalho, que realizarão rondas para dar cobertura nas festas.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Gundim, não há contingente o suficiente para manter presença fixa em todas as festas. “Mas as rondas auxiliarão e qualquer emergência a população deve lembrar que só precisa nos contatar por meio do 192”, recomendou.

Para Gundim, o Carnaval 2015 na Capital deve ser mais tranquilo em relação a 2014, pois provavelmente não haverá enchente do Rio Acre, que teve uma redução drástica do volume de suas águas na última semana. No mesmo período do ano passado, vários bairros em Rio Branco já haviam sido atingidos.

Folia nos bairros

Há dois anos, o Carnaval tem um novo formato, com a ideia dos carnavais comunitários, de rua e dos blocos carnavalescos. A experiência já é sucesso – ano passado, sete associações realizaram seus carnavais. O número este ano passou para 30 entidades.

 

Assuntos desta notícia