Funai tem 1.000 cargos vagos e pede abertura de novo concurso

 A Fundação Nacional do Índio (Funai) confirmou ao CorreioWeb que, atualmente, conta com mais de mil cargos vagos. A fundação solicitou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) a abertura de novo concurso público para suprir o déficit de profissionais, mas ainda não teve retorno. Caso seja aprovado, o certame será realizado ainda em 2015.

De acordo com informações repassadas pelo coordenador geral de gestão de pessoas da Funai, Clayton Geraldo Mendonça de Castilho, a nova seleção deverá contemplar cargos de níveis médio e superior. Contudo, ainda não é possível informar o número de vagas e cargos específicos que serão oferecidos, já que a demanda e as prioridades serão estudadas somente após aprovação do MPOG.

A última seleção da Funai foi aberta em 2010 e ofereceu 425 vagas de níveis fundamental, médio e superior. O Instituto Cetro foi a banca organizadora. As chances foram para os cargos de auxiliar em indigenismo (75 vagas), agente em indigenismo (150), e indigenista especializado (200). Na época, as remunerações eram de R$ 3.080,38, R$ 3.321,90 e R$ 4.085,28.

As oportunidades foram para as regiões de Roraima e Noroeste do Amazonas; Acre e Sudoeste do Amazonas; Rondônia, Noroeste do Mato Grosso e Sul do Amazonas; Goiás, Maranhão e Tocantins; Amazonas Central (incluindo Manaus); Mato Grosso; Amapá e Pará; Mato Grosso do Sul; Sul e Sudeste; Minas Gerais, Sul da Bahia e Espírito Santo; Nordeste (exceto Maranhão) e para a sede em Brasília.

Os candidatos passaram por prova objetiva e redação, além de prova prática para o cargo de auxiliar em indigenismo.

Assuntos desta notícia