Política local 25/03/2015

“A falta de cuidados faz mais mal do que a falta de ciência”.
(Benjamin Franklin)

Nomes na pauta
A ex-reitora da UFAC, Socorro Nery e o ex-deputado federal Henrique Afonso são os principais nomes com os quais o PSDB conta para uma candidatura a prefeito de Rio Branco. Ambos devem filiar-se em data a ser marcada. Nery já foi candidata a vereadora da Capital sem sucesso e Henrique vem de uma derrota de vice na chapa de Tião Bocalom (PSDB) ao governo.

Outra possibilidade
O futuro presidente do PSDB, deputado federal Wherles Rocha, considera que Henrique Afonso é também um nome em potencial para disputar em 2016 a prefeitura de Cruzeiro do Sul.

Sou candidato e não abro
Mas, em Cruzeiro do Sul a coisa não é tão pacífica. O vereador Romário Tavares (PSDB) me disse ontem que não abre mão de sua candidatura e já comunicou ao partido da sua decisão.

Rabo da fila
Sobre a vinda do ex-deputado federal Henrique Afonso para o PSDB e ser colocado como candidato a prefeito de Cruzeiro, Romário reage: “quem chega vai para o rabo da fila”.

Quadro previsto
Na avaliação de Romário, deverão ter três candidaturas a prefeito de Cruzeiro do Sul. A dele, do candidato do prefeito Vagner Sales, que deve ser o advogado Jonathan Donadoni e a do PT.

Não está certo
Rocha não considera o prefeito de Assis Brasil, Betinho, como candidato nato, devido o seu alto desgaste e defende que seja feita uma pesquisa para a escolha de outro nome a prefeito.

Topa se for consenso
O deputado Ghelen Diniz (PP) me garantiu ontem que, se houver um consenso na oposição por uma candidatura única a prefeito de Sena Madureira, ele aceita ser o candidato do grupo.

Ou se une ou perde
Na avaliação de Ghelen, mesmo com o prefeito Mano Rufino não vir fazendo uma boa administração, se a oposição não se unir num nome para prefeito, Mano pode se reeleger.

Não está errado
Está certo o deputado Ghelen Diniz, o prefeito Mano Rufino tem a máquina da prefeitura e terá a máquina do governo ajudando a empurrar a sua reeleição, o que pesa numa campanha.

Missão para o governador
Segundo esta mesma fonte a escolha do candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul é uma missão que deverá ficar a cargo do governador Tião Viana, que deverá buscar um nome leve e novo.

Enxurrada de ações no G-7
É consenso entre os empresários e seus familiares entrarem com uma enxurrada de ações na Justiça contra todos os que os colocaram como membros de quadrilha sem serem condenados.

Festa para os advogados
São tantas as ações de danos morais previstas contra os acusadores, que vai dar um belo faturamento para os advogados de defesa. O pau que bateu em Chico vai bater no Francisco.

Fato que dificulta
O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) considera o prefeito de Tarauacá um gestor sério e atuante, mas reconhece que as periódicas alagações na cidade lhe trouxeram dificuldades.

Erro primário
Faltou ao deputado Jenilson virar o outro lado da moeda, que é a falta de habilidade política do prefeito Rodrigo Damasceno, que perdeu apoio dos partidos aliados e se encontra isolado.

Nome de consenso
O deputado Jonas Lima (PT) não se entusiasma tanto com a disputa da prefeitura de Mâncio Lima, devido ao caos econômico, mas diz que seu irmão Isac Lima (PT) pode ser candidato.

Como descartar o Iderley?
A oposição fala em nomes para a disputa da prefeitura de Cruzeiro do Sul, mas esquece o  ex-deputado federal Iderley Cordeiro, com 8 mil votos na última eleição, no município.

Nome mais forte
A oposição deverá ir para a disputa da prefeitura de Plácido de Castro com o seu nome mais forte, o do tucano Gedeão, que na última disputa teve 43% da votação do município.

Deixou de ser novidade
Caso Marcio Bittar (PSDB) dispute o Senado em 2018, dificilmente, perde para o senador Sérgio Petecão (PSD), que deixou de ser novidade. A outra vaga do Senado fica com o PT.

Não tem outra solução
Não existe outra solução diferente da que o Tião Viana está buscando em Brasília: recursos para construção de unidades habitacionais nos municípios atingidos pela alagação.

Caso de Brasileia
Em Brasileia, não há mais como manter moradores em áreas que todos os anos alagam e tampouco os centros administrativos onde funcionam hoje, ou vira um moto-contínuo.

Não podia dar certo
A administração do prefeito de Manoel Urbano, Ale Anute, não podia dar certo. Tem um primo secretário, sua mulher é assessora de gabinete e o filho o chefe do setor tributário, só família.

Entrando no anedotário
O prefeito Ale, conta o vereador Jefferson Magalhães (PHS), entrou no anedotário. Moradores fecham as ruas pedindo melhorias e ele limita-se a responder: “fecharam porque quiseram”.

FLA X FLU
O prefeito  Marcus Alexandre faz uma administração austera e acima da média, mas se a oposição centralizar apoio numa única candidatura a prefeito teremos uma das eleições mais disputadas para a PMRB, que por si só sempre foram equilibradas. O péssimo momento econômico nacional, com reflexos nos municípios, e o desgaste acentuado do PT, podem colaborar para deixar a eleição municipal tipo um Fla x Flu. Outro fator que poderá ajudar ou não a caminhada do Marcus para a reeleição é sobre quem será o seu vice, algo que precisa ser muito bem costurado. Não pode ser um nome sem o consenso dos demais partidos da FPA.

Assuntos desta notícia