Deputado quer linha de crédito emergencial para produtores

“Nós perdemos tudo que plantamos. Estamos sem saber como sustentar nossas famílias”, disse o produtor ribeirinho, Francisco de Assis, de 56 anos, ao relatar ao deputado estadual Eber Machado (PSDC), a situação dos pequenos agricultores rurais que residem às margens do rio Acre e Riozinho do Rola. Eles perderam seus roçados e pequenos animais com a cheia dos rios este ano.

Os ribeirinhos reclamam do descaso das autoridades que ainda não sinalizaram com uma ajuda para recuperar os prejuízos sofridos com a elevação do nível dos rios. “Eu pedi plantação de banana, macaxeira e verduras. Não sei como vou fazer para recuperar os roçados nem sei como vou colocar comida na mesa para minha mulher e meus filhos”, destaca José Roberto Silva, de 47 anos.

O deputado estadual Eber Machado (PSDC) disse que uma das alternativas para amenizar o problema dos ribeirinhos, seria a liberação de uma linha de crédito emergencial para os produtores. “Acredito que este é o momento dos representantes públicos se mobilizarem para pedir uma linha de crédito nos moldes do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte”, enfatiza.

O parlamentar informa que vai agendar uma reunião com os representantes do Banco do Amazônia, para reivindicar que a instituição financeira possa apresentar uma sugestão que atenda as necessidades dos produtores ribeirinhos. “Estas pessoas que clamam por ajuda são responsáveis por parte da alimentação dos rio-branquenses. É justo que recebam ajuda”, diz Machado.

Eber Machado afirma que vai levar a questão ao governo do Acre, para que o estado também faça uma intervenção. “O nosso governador sempre ajudou quem produz no Acre. Tenho absoluta certeza que ele vai se sensibilizar com os relatos destes trabalhadores que também sofreram com a cheia dos rios, da mesma forma que vem ajudando a população da área urbana”, ressalta Machado.

Os produtores ribeirinhos enfrentam ainda o problema da falta de documentação da maiorias da propriedades, fator que emperra o acesso ao crédito nas instituições financeiras que fomentam o setor produtivo. “Vamos apresentar uma proposta para fazer um mutirão para legalizar as propriedades. O governo vem garantindo este direito em todo o Acre”, finalizaEber Machado.

 

Assuntos desta notícia