Rio Branco registra 4 casos suspeitos de febre chikungunya, diz Saúde

Quatro casos suspeitos de febre chikungunya foram registrados em Rio Branco, segundo a Secretaria de Saúde do município. De acordo com a diretora do departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Branco, Socorro Martins, o resultado dos exames devem sair até a primeira quinzena de abril. “Os casos suspeitos são de pessoas com histórico de viagens para os locais onde têm maior incidência da doença”.

Socorro explica que assim que os pacientes procuraram a unidade de saúde apresentando os sintomas, foram coletadas amostras de sangue e realizados os procedimentos adequados em casos de suspeita da doença. As amostras foram coletadas no início de março e enviadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém/PA.

“Quando há suspeita da doença, de imediato, nós vamos no local onde a pessoa mora, e em um raio de 300 metros aplicamos o fumacê. Além disso, fazemos a busca de locais onde possam ter criadouro do mosquito. São dadas orientações às famílias, para que não deixem a caixa d’água aberta, e em alguns casos, oferecemos a tampa”, disse a diretora.

De acordo com a gestora, os sintomas da febre chikungunya são semelhantes ao da dengue, inclusive é transmitida pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti. Os sintomas são: febre, mal-estar, dores no corpo, dor de cabeça, cansaço, dor nas pernas. “A grande diferença entre a febre chikungunya e a dengue está nas dores das articulações, o paciente com dengue não apresenta essas dores”, acrescentou.

A orientação da Secretaria de Saúde é a eliminar os locais que possam ser criadouros do mosquito ao redor das casas. Além disso, Socorro explica que no caso de quem fez viagens para locais de maior incidência da doença, como Goiânia, Bahia, Fortaleza e Brasília, e ao retornar passou a sentir esses sintomas, que procure com urgência uma unidade de saúde para fazer os exames.

Vigilância Epidemiológica realiza campanha de prevenção
A Vigilância Epidemiológica de Rio Branco iniciou, no mês de janeiro, uma campanha para conscientizar a população sobre a febre chikungunya. A doença é transmitida pelo mesmo mosquito da dengue, Aedes aegypti, e também pelo Aedes albopictus e tem os mesmos sintomas e tratamento da dengue. Com a campanha, os agentes de vigilância pretendem alertar a população para os riscos da doença e evitar que a febre chegue ao estado acreano.

De acordo com o chefe da Divisão de Endemias e controle de vetores, José Ferreira Neto, as ações de prevenção da febre chikungunya são as mesmas da dengue. “É uma ação cotidiana, são 160 agentes de endemias nos bairros, visitando as casas a cada dois meses e dando orientações. Como o vetor é o mesmo da dengue damos as mesmas orientações para os dois casos”, explica. (Iryá Rodrigues, Do G1/AC)

Assuntos desta notícia