Política nacional 15/04/2015

“Vou ficar mais um pouco”.
Vice Michel Temer, brincando sobre a permanência dele como presidente do PMDB.

TCU vai investigar governo Dilma por ‘pedaladas’
Além de problemas na política, na economia e até na polícia, o governo Dilma responderá pela prática de “pedaladas fiscais”, considerada criminosa pelo Ministério Público Federal junto ao Tribunal de Contas da União. Nesta quarta (15), o TCU vai discutir o voto do ministro José Múcio, endossando a maior parte das recomendações da área técnica e até acrescentando nomes às 14 autoridades listadas pelo Ministério Público/TCU a serem convocadas para depor sobre o crime fiscal.

Manobra criminosa
As “pedaladas” consistiam no atraso proposital de repasses do Tesouro a bancos ofi-ciais para melhorar artificialmente as contas públicas.

Créditos
Para auditores, técnicos e investigadores do TCU, as “pedaladas” são operações de crédito entre bancos oficiais, o que é considerado crime.

Serão denunciados
Autoridades e dirigentes da Caixa deverão responder a processos criminais, porque a Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe “pedaladas”.

Serão convocados
Devem ser intimados pelo TCU Guido Mantega, o ex-secretário do Tesouro Arno Augustin e Luciano Coutinho (BNDES), entre outros.

DEM deverá levar ‘dote’
A direção do PTB vai ignorar a resistência da bancada no Congresso e sacramentar a fusão com o DEM. Senadores e deputados do partido são contrários à incorporação, mas o que pesa mesmo, como sempre, é a grana: a cúpula do PTB está de olho no “dote” do DEM, que é o valor do Fundo Partidário do partido. O PTB embolsou R$ 11,9 milhões e o DEM R$ 14,8 milhões no ano passado. Em 2015 isso deve triplicar.

A mão armada
Decisão indecorosa do Congresso aumentou o Fundo Partidário, que foi de R$ 289,5 milhões em 2014, para R$ 867,5 milhões este ano.

Caixinha, obrigado
O dinheiro fácil do Fundo Partidário, abastecido pelo Tesouro, garantiu só este ano R$ 2,4 milhões para o DEM e R$ 2,3 milhões para o PTB.

Vale o quanto pesa
O número de deputados federais é um dos critérios para definir o valor da fatia do partido no Fundo Partidário. O DEM tem 21 deputados.

Tinta na caneta
Deputados do PMDB já desconfiam que “falta tinta” à caneta de Michel Temer. Em café da manhã no Palácio do Jaburu, nesta quarta, eles vão cobrar do vice-presidente uma “imediata demonstração de força”.

Henrique, o zumbi
O ex-deputado Henrique Alves (PMDB) continua vagando como alma penada em Brasília, suplicando um ministério, qualquer um, para não ficar complemente no ócio. Demorou, mas Dilma até já aceita a ideia.

Boicote ao ajuste
A situação vexatória do desempregado Henrique Alves pode levar seu amigo Eduardo Cunha, presidente da Câmara, a promover a derrota do pacote fiscal do governo. Michel Temer foi avisado dessa possibilidade.

Lorota eleitoral
Dilma sugeriu que economista Elisabete Timbó, 55, procurasse o Pronatec para arrumar emprego, mas não avisou que cortaria a verba, deixando às moscas o programa do qual fez propaganda na campanha.

Sem nada para fazer
O governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), circulava ontem no Senado jogando conversa fora. Ele vem tentando encontrar vaga na agenda do presidente da casa, Renan Calheiros.

Mexam-se
A oposição tomou um novo “pedala” da população, nas manifestações. O gabinete do deputado Bruno Araújo (PSDB/PE) recebeu dezenas de ligações pedindo o apoio dele ao impeachment de Dilma.

Virou piada
Petistas ironizavam ontem a participação do senador Aécio Neves em discussão sobre reforma política com os tucanos. Questionavam se ele iria pessoalmente ou apareceria da sacada de seu apartamento.

Alunos prejudicados
As aulas na rede pública no DF nesta quarta (15) serão “compactadas”, tipo 3 em 1, por determinação do sindicato dos professores, para que eles protestem contra terceirização. A secretaria de Educação nem sequer ousou contrariar a decisão do sindicato.

Pensando bem…
…com presidente e outros tantos denunciados na Lava Jato, o PP está prestes a ser rebatizado como Partido do Petrolão.

PODER SEM PUDOR
Redondamente limitado
Se denúncias envolvendo parlamentares provocam revolta, a qualificação de boa parte deles tampouco motiva o respeito dos eleitores. Na CPI do Apagão Aéreo, anos atrás, o coordenador de Prevenção de Acidentes da Infraero explicava que se medem as pistas dos aeroportos com “rédua milimetrada” quando o relator Marcos Maia (PT/RS) interrompeu, com ar de especialista:
– Quadrada ou redonda?
– Redonda?!?! – espantou-se o depoente, em meio a gargalhadas gerais.

Assuntos desta notícia