Parlamentar fala sobre prorrogação de pagamento do ICMS aos contribuintes atingidos pela cheia

Antônio Pedro pede um plano de parcelamento
Antônio Pedro pede um plano de parcelamento

O deputado estadual Antônio Pedro (DEM) comentou sobre a prorrogação do prazo para o pagamento do ICMS aos contribuintes dos municípios de Brasileia e Xapuri, atingidos com a cheia histórica. O governador Tião Viana prorrogou o pagamento do ICMS de fevereiro e março para os últimos dias de junho e julho.

Segundo o deputado, a única ressalva quanto ao assunto está relacionada à falta de diálogo entre o Poder Executivo e os comerciantes. O parlamentar destaca a necessidade de um plano de parcelamento no qual o contribuinte possa estar apto a pagar.

“Nosso único questionamento nessa história é que a equipe governamental esqueceu-se de conversar com os comerciantes. Quem sabe onde o sapato aperta são os comerciantes. Peço ao governador que elabore um plano em que o comerciante possa realmente aderir e pagar. Em 120 meses, quem deve R$ 100 mil terá uma parcela de R$ 1 mil, facilitando a vida dos comerciantes”, destaca Antônio Pedro.

O parlamentar destaca que a medida não beneficia os comerciantes, haja vista que, segundo ele, na maioria das vezes, os empresários preferem pagar o fornecedor ao imposto.

“A pergunta aqui é: até que ponto essa medida é realmente eficaz ao comerciante? Levando em consideração que eles preferem pagar os fornecedores aos impostos, percebe-se que tal medida não é interessante. As micros e pequenas empresas geram mais de 60% de todo emprego no país, além de ser responsável por 20% do PIB. Precisamos de uma relação de mais proximidade nas relações do governo com os pequenos empreendedores”, disse o deputado.

O parlamentar pede que o Governo do Estado abra um diálogo com aos comerciantes dos dois municípios. “Sei que o governador tem feito o possível para amenizar os prejuízos aos comerciantes, por isso, peço que ele dialogue com essas pessoas para realmente ter noção do desespero deles e assim possa, de fato, tranquilizá-los”, finalizou. (Foto: Agência Aleac)

Assuntos desta notícia