Embalou

O Rio Branco, enfim, mostrou a que veio nesta temporada. E em rede nacional. Depois de um bom jogo contra o Vasco, pela Copa do Brasil, na semana passada, o time voltou suas atenções para o Campeonato Acreano. Sem dó nem piedade, o “novo” Estrelão recomeçou o estadual de forma arrasadora. É o prenúncio que a equipe alvirrubra embalou? Digamos que sim, mas é preciso cautela.

Muitos fatores nos levam a acreditar que sim. Após um início turbulento em 2015, o Estrelão parece ter se encontrado, para a alegria dos poucos torcedores que encaram sol e chuva nos estádios. E não fácil o caminho até aqui. Reforços e mais reforços, paciência (muita paciência) e reestruturação marcaram os primeiros meses do ano no maior clube do estado.

Em outras épocas, logo nos resultados negativos da Copa Verde, técnico e boa parte dos jogadores teriam sido mandados embora. Poderia até dar certo, mas a probabilidade era que não desse. Não foram. Com paciência para entender o momento delicado, a diretoria buscou reforços, mesmo com recursos limitados. E, importante ressaltar, fez as contratações certas – pelo menos por enquanto.
Os quatro últimos apresentados são todos titulares e, em dois jogos, tiveram boas atuações. Do zagueiro Martinez ao atacante Alexandre Matão. O camisa 9 chegou e mostrou serviço: quatro gols em duas partidas. Não veio para brincadeira.

Com três vitórias seguidas – no estadual – e uma delas por 9 a 0 (acredite se quiser), o Rio Branco embalou. Mas, ressaltando, nada está ganho. O estadual é definido numa fase classificatória e depois eliminatória – tida como a mais decisiva, afinal, como esquecer o Atlético no ano passado? Dono da melhor campanha na primeira fase, o Galo caiu nos pênaltis na decisão.

Para jogar a Série D, o Estrelão terá que conquistar o estadual. E, caso conquiste o título, deve perder peças para outros times de maior expressão nacional na atualidade. É o mercado da bola. A paciência não pode chegar ao fim, caso contrário o embalo pode ser interrompido.

* João Paulo Maia é jornalista.
[email protected]
Twitter: @jpmaiaa

Assuntos desta notícia